O Buscador

O Buscador
"Quando olho para os Céus, não estou procurando por um Deus que vive no espaço exterior, estou lendo as estrelas e ouvindo os seus mistérios (Tehilim 19)". Deepak Sankara Veda

Faça Uma Tzedaká (Doação)

Faça Uma Tzedaká (Doação)
O Segredo Da Doação

Boas Vindas

"ברוכים הבאים ממסורת עתיקה העברים במדבר". Bem vindo á Antiga Tradição dos Hebreus do Deserto ao "Zen Hebreu". Este site não representa o judaísmo, nada tem haver com judaísmo e com nenhuma de suas vertentes. Este "sítio" é um lugar onde Sabedoria é compartilhada

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Onde Está O Profeta - O Filho De Amitai?


Uma Mensagem Do Arizal
"Rabi Itzchaq Lúria Z'L" 


No meu sonho na madrugada de dezesseis de fevereiro, me foi mostrado uma escritura hebraica na qual eu podia ler "Eifo ha'navi ben-Amitai (אֵיפָה הַנָּבִיא בֶן-אֲמִתַּי) - Onde está o profeta, o filho de Amitai?" Ao mesmo tempo em que eu ouvia esta frase sendo perguntada nos Céus (Academia Celestial). 

Durante o sonho eu senti a presença do meu amado Professor, o Sagrado Leão de Safed (Ha'Ari Ha'Qadosh) e sabia que ele queria me dar um segredo. Ao acordar e ainda com esta impressão mística na memória da alma, procurei nela a assinatura do meu amado Mestre. Calculei a gematria das letras na oração que li e ouvi e descobri o valor 667. 



Ora, este valor numérico hebraico é o resultado dá gematria das letras de "Rabbi Yitzchaq Lúria (רבי יצחק לוריא)" que é o nome do meu Professor. Senti muito amor durante o sonho e ao começar a estudar o dito (אמר) percebi que as letras iniciais formam um notarikon (acronismo hebraico) para a palavra Ohév (אהב) que é amor em hebraico. 


SÓD HA'NIQUDOT

Outro segredo está escondido nos Niqud'Ot (vogais) da oração. Na primeira palavra "Eifo (אֵיפָה) - Onde está?" O valor é 36 e portando a pergunta é "Eifo ha'Tzadiqim Nistarim (onde estão os trinta e seis imortais)? A resposta está na segunda palavra "Ha'Navi (הַנָּבִיא) - o profeta". Os pontos vogais embaixo desta palavra resultam no valor 42 que alude ao Santo Nome de 42 Letras (Ana Be'Koach). Até aqui nós temos:- "Onde estão os Tzadiqim Nistarim? Escondidos no Santo Nome de 42 Letras". 

A próxima palavra é "ben (בֶן)" que é "filho" em hebraico é cujo valor numérico é igual a 52 que é a assinatura numerológica do Profeta Eliahu (אליהו). Ben também é "ban (בן)" que é Biná (בינה) - a Compreensão Divina e os 50 Portais da Compreensão e também o Palácio Celeste onde mora o Profeta Eliahu. Meu mestre, o Sagrado Leão, não veio sozinho para me instruir, ele veio acompanho do Anjo Sandalfon (Elias) como nós tempos antigos. O niqud embaixo de "ben (בֶן)" é o segól (três pontinhos) que aludem as três colunas da Árvore Das Vidas e aos três patriarcas Abraão, Isaac e Jacó que são as Carruagens da Bondade, Severidade e Equilíbrio (o Caminho do meio). Meu Professor trouxe com ele o Profeta Elias e todos se reuniram nas Academias de Abraão, Isaac e Jacó nos céus.

A última palavra é "Amitai (אֲמִתַּי)" que significa "verdade". Os Niqud'Ot embaixo desta última palavra somam também 52 que é a assinatura de Eliahu. O Zohar diz que a Compreensão dos mistérios divinos é dada pelo Profeta Elias e podemos compreender que "a verdade está com o profeta Eliahu". 

Então, o código oculto na mensagem do meu mestre é revelado pelo Profeta Elias: "Onde estão os Tzadiqim Nistarim? Escondidos no Santo Nome de 42 Letras. Compreenda esta verdade". 

Mas, afinal, quem é o Profeta filho de Amitai? Ele é profeta Jonas (יונה) e aqui há outro mistério. O Zôhar revela que, o corpo de Elias fica preservado na "se'erá (torvelinho de luz)" pelo qual ele foi levado aos céus e que, quando Eliahu vem à terra e toma o seu corpo escondido na se'erá este corpo se chama Yoná (Jonas)".

Onde está o profeta filho de Amitai? Está escondido no torvelinho de luz. É lá que está o profeta filho de Amitai.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Seu Rosto É Seu Promotor


"A aparência do rosto revela a natureza da alma de uma pessoa". 

- Baseado no Zôhar Parashat (Porção Yitro). 

Quando Moshê (Moisés) terminou de ensinar princípios de leitura do rosto e da mão aos Filhos de Israel, eles usaram essa ferramenta para avaliar Moshê. O midrash expõe que cada um dos 600.000 homens viu o que viu e chegou à conclusão de que Moshê tinha um grande desejo pelas mulheres. Como resultado, eles sempre acompanharam suas esposas a qualquer reunião particular que teve lugar entre Moshê e qualquer uma de suas esposas. O midrash ensina que eles fizeram isso não porque eles não confiam em suas esposas, mas porque eles pensaram que eles deveriam ajudá-lo para o caso de Moshê perder o controle de seu desejo. 

Foi que nos dias de Moshê Rabbeinu, um rei gentio, tendo ouvido falar do eu líder da nação judaica que os libertou do Egito, dividindo o mar, recebendo a Torá, etc, muito desejou ver a face de Moshe. Como estava abaixo de sua dignidade viajar ao deserto para encontrá-lo, ele empregou um artista hábil para estudar a face de Moshe e pintar finalmente seu retrato. O artista passou muitos meses até que ficou satisfeito com o seu trabalho e apresentou-o ao seu comissário. O rei deu uma olhada na foto e deu ao artista uma bofetada em seu rosto. 

"- Como você se atreve a me enganar! Eu sou bem versado na leitura de rostos, e a imagem que você pintou é de um homem que é de caráter muito pobre. Não só ele deseja as mulheres, como também ele deseja roubar o que quer que seja que não pertence a Ele. Ele também tem o desejo mais forte por tudo o que eu já vi na face de alguém. Eu devo acreditar que este é o grande Moisés? Este homem que tem a moral mais baixa que eu já vi. Como as pessoas podem pronunciar Seu Nome com tanta reverência?" 

O artista, no entanto, manteve sua história de que este era realmente Moshê, que tirou os filhos de Israel do Egito e dividiu o Yam Suf. 

O rei comissionou três artistas e enviou-os para o deserto para "ver" Moshê e desenhar a sua imagem. Todos eles enviaram retrator com o mesmo rosto. Um de um criminoso e que é a melhor palavra para descrever o rosto de Moisés, uma vez que ele havia matado um egípcio. Finalmente o rei intrigado, viajou ao deserto para contemplar o semblante de Moshê com seus próprios olhos. Para seu choque, Moshê parecia exatamente como os artistas o descreveram artisticamente. O rei se aproximou-se do grande líder e expressou sua surpresa com base em sua compreensão da leitura de rosto: 

"- Por que você está surpreso?" - perguntou-lhe Moisés. "Não é este o verdadeiro teste do homem? Superar seu caráter pobre e lutar pela grandeza?" 

- Tiferet Yisrael (Kiddushin 4:77 e outros). 

Não se pode enganar os sábios que são versados na Sabedoria Secreta da Torá. A pessoa que tenta enganar o Sábio, mente unicamente para si mesma. 


Autor Dipankara Vedas 
Emprestado De YeshShem 
Com explicações

sábado, 11 de fevereiro de 2017

O Grande Segredo Do Rabino Chaim Vital


"Porque assim me disse o Adonai: Como o leão e o leãozinho rugem sobre a sua presa, ainda que se convoque contra ele uma multidão de pastores, não se espantam das suas vozes, nem se abatem pela sua multidão, assim o Adonai dos Exércitos descerá, para pelejar sobre o monte Sião, e sobre o seu outeiro".


ד כִּי כֹה אָמַר-יְהוָה אֵלַי כַּאֲשֶׁר יֶהְגֶּה הָאַרְיֵה וְהַכְּפִיר עַל-טַרְפּוֹ, אֲשֶׁר יִקָּרֵא עָלָיו מְלֹא רֹעִים, מִקּוֹלָם לֹא יֵחָת, וּמֵהֲמוֹנָם לֹא יַעֲנֶה; כֵּן, יֵרֵד יְהוָה צְבָאוֹת, לִצְבֹּא עַל-הַר-צִיּוֹן, וְעַל-גִּבְעָתָהּ.

Isaías 31:4

Eis que aqui, vou revelar um profundo segredo espiritual sobre a alma do Rabino Chaim Vital, de abençoada memória, que não foi revelado a ninguém nesta geração e nem nas gerações passadas deste a época do Profeta Isaías se não, e unicamente para mim. Você poderá pesquisar em toda a internet e não vai encontrar nenhuma menção sobre este mistério que não aqui neste escrito.

A Visita Do Arizal

No dia 22 de setembro de 2009, fui visitado, no meu sonho, por um anjo com vestes humanas. Ele me disse: "- Proclame aos quatro cantos da terra. Você é uma pessoa especial, amado nos céus". Assim que ele terminou de falar, tomou um instrumento curvo, parecido com um limpador de cutículas e tomando o meu polegar da mão direita, retirou toda a sujeira de debaixo da minha unha. Acordei com a consciência diferente, mais elevada, e a partir deste dia os segredos da minha alma e da sabedoria me foram revelados. O dia 22 de setembro é o 265º dia do ano solar e como nada acontece por acaso, e o anjo veio neste dia. E quem era este anjo? Ele era o Arizal, de abençoada lembrança. O valor 265 é a exata gematria de "Hú ha'Arizal (הוא ה'אריזל) - Ele é o Arizal. Nada no reino dos céus acontece fora de seu tempo, hora ou momento. Nem mesmo um anjo é enviado sem que uma evidência seja impressa no reino físico.

Em Sha'ar Ha'Guilgulim (O Portal Das Reencarnações) Ha'Qadmá (הקדמה) - Introdução 38, o Arizal (O Leão De Safed), abençoada seja sua lembrança, contou ao Rabino Chaim Vital, de abençoada memória, que a alma dele era superior a de alguns anjos.

"- Absolutamente superior". - Disse o Arizal. E ele também lhe disse que ele poderia subir (se elevar), por causa da alma que ele possuía e em razão dos atos dele, acima dos céus chamados Rakiá Aravot (ערבות).

Ainda na "Introdução 38" está escrito, o que o Leão Sagrado revelou ao Rabino Chaim Vital sobre a sua Néfesh (alma). O Sagrado Leão lhe disse: "- Saiba, eu ainda não tenho permissão para lhe dizer por qual razão você tinha vindo ao mundo e quem você é. E se eu lhe dissesse detalhadamente o assunto em questão, você levitaria no ar de tanta alegria. Então vou lhe contar um pouco do que tenho permissão agora para lhe dizer. E saiba que todo o mundo dependia da sua própria correção (tikun) primeiramente. Portanto, ouça, por favor, os meus conselhos e cuide primeiro de você. Saiba - continuou o Arizal -  que a raiz do lado externo da vestimenta da sua néfesh vem do ombro esquerdo de Adão, e ela é do aspecto da néfesh de Cain do lado bom que havia nele".

"A razão secreta que o Arizal não revelou em vida ao Rabino Chaim Vital, mas revelou depois por inspirações e sonhos, foi que Vital retornou ao mundo para inaugurar a Era Messiânica".

Na mesma Introdução, o Rabino Chaim Vital revelou: "- A ordem da raiz da minha alma (néfesh) é a seguinte: Samuel, o profeta; Chizkiáhu, rei de judá; Rabino Iochanan Ben Zacai; Rabino Akiva Ben Ioséf; Rav Iba Saba de Mishpatim; Abayê; o amoraíta, chamado de Nachmani, por fim, eu, Chaim Vital. Por isso, o Rabino Iochanan Ben Zacai, quando estava para morrer, disse para preparar uma cadeira para o rei Chizkiáhu de Judá que está vindo".

 Em 23 de abril de 2010, comecei a "canalizar (de dentro de mim)" um conto para o meu livro Crônicas De Qédem, conto este chamado "Crônicas De Akráv (Crônicas De Escorpião)". Para este conto eu recebi um poema. Ei-lo:

“Escorpião, Escorpião, assentando sobre as águas, orientado pelas reflexões de Elazar o sábio, as meditações das palavras de segredos, a história no livro dos Jubileus, pérolas de Ya´qóv, o único homem escrevendo no meu quarto, na Casa de El, o pastor de Cheshvan, o homem do mistério, Ben Zacai, que me faz conhecer através das profundas reflexões sobre as palavras dos Segredos. Escorpião, Escorpião...”.

Em 23 de março de 2015, às 17h10m, eu postei este poema no Facebook e acrescentei-lhe a seguinte explicação:

"E aqui está codificado o "verdadeiro autor" de Crônicas De Qédem - que é chamado no poema acima de "O Pastor de Cheshvan".

O pastor de Cheshvan é o Rabino Chaim Vital que nasceu no mês hebraico de Cheshvan, mês este que recebe a influência da Mazal Akráv (Constelação de Escorpião). O rabino Chaim Vital era também uma reencarnação de Elazar, filho do Rabino Shimon Bar Yochai, de abençoada lembrança, o que lhe foi revelado pelo Sagrado Ari e, como reproduzido acima, na ordem da raiz da sua alma estava também o Rabino Iochanan Ben Zacai. "Pérolas de Ya'qov" porque o Rabino Akiva era uma reencarnação do Patriarca Ya'kov (Pérola é como o Santo, abençoado seja Ele, chama a alma). O Rabino Chaim também revelou que a raiz de sua alma é de Yuval, filho de Cain, que fabricava armas, e por isto no poema diz "a história no livro dos Jubileus" pois Yuval vem de Yovel que é jubileu. Também, nesta questão de Yuval, o Arizal aconselhou o rabino Chaim a tomar cuidado com facas, devido à correção de Yuval, pois ele sempre corria o risco de se ferir não intencionalmente.

Em seguida a este conto, "canalizei" outro chamado "O Templo De Vênus Sabra" e neste eu cito Nachmani (Abayê) - o amoraíta. De 23 de abril de 2001 à 27 de dezembro de 2003, eu residi em nossa sinagoga (Eliahu) que ficava na casa 583 na Vila Amorim (Amoraim/Amoritas).

Então, no dia 31 de agosto de 2016, tive um sonho com as palavras de Raban Iochanan Ben Zacai, sonho que postei no Facebook:

"Sonhei, nesta madrugada, com as palavras de Raban Yochanan Ben Zakkay quando estava para morrer: "Ve'hachinu Kissê le'Hizkyiahu melech Yehudá she'bô (והכינו כסא לחזקיהו מלך יהודה שבא) - E preparemos uma cadeira para Ezequias rei de Judá, ele está vindo". Enquanto eu ouvia estas palavras de nosso mestre no sonho, meus olhos as viam no Sha'ar Ha'Guilgulim e ao mesmo tempo me era dito que há nelas, um segredo de gematria. Certamente, um segredo me foi contado pela Academia Celestial".

Antes deste sonho, o segredo em questão e que vou revelar, me foi revelado. A data foi 9 de maio de 2016.

התשע'ו

O Segredo

Há milênios cantamos, em todo Havdalá (ritual da separação) no encerramento da Shabat o "Hino da Salvação" construído com os versos de Isaías capítulo 12, versículos 1 e 2, Salmos 3, versículo 9, Salmos 46, versículo 8, Salmos 84, versículo 13, Salmos 20, versículo 10. Meguilat Esther 8, versículo 16 e Salmos 116, versículo 13 como segue abaixo:

"Hinei el y'shuati, ev'tach v'lo ef'chad, ki ozi v'zimrat Yah, Adonai vay'hi li li'shua Ushav'tem mayim b'sason, mima'anei ha-y'shua. L'Adonai ha-y'shua, al am'cha birchatecha selah. Adonai tz'va'ot, imanu, misgav lanu, Elohei Ya'akov Selah. Adonai tz'va'ot, ashrei adam boteach bach. Adonai hoshiah, haMelech ya'aneinu v'yom koreinu. LaY'hudim, hay'tah orah, v'simcha v'sason, vikar "ken tih'yeh lanu". Kos Y'shu'ot esah, uv'sheim Adonai ekra".

Dentro dos versos do Profeta Isaías, o Profeta da Salvação, o anunciador da Era Messiânica, há um profundo mistério escondido e que foi revelado apenas a mim em todo o mundo. Nas palavras de Isaías ""Hinei el y'shuati, ev'tach v'lo ef'chad, ki ozi v'zimrat..." está criptografado o nome Chaim Vital, marcado abaixo no original hebraico com letras vermelhas e grandes.

הִנֵּה אֵל יְשׁוּעָתִי, אֶבְטַח וְלֹא אֶפְחָד, כִּי עָזִּי וְזִמְרָת יָהּ יְיָ, וַיְהִי לִי לִישׁוּעָה. וּשְׁאַבְתֶּם מַֽיִם בְּשָׂשׂוֹן, מִמַּעַיְנֵי הַיְשׁוּעָה. לַייָ הַיְשׁוּעָה, עַל עַמְּךָ בִרְכָתֶֽךָ סֶּֽלָה. יְיָ צְבָאוֹת עִמָּֽנוּ, מִשְׂגָּב לָנוּ אֱלֹהֵי יַעֲקֹב סֶֽלָה. יְיָ צְבָאוֹת, אַשְרֵי אָדָם בֹּטֵֽחַ בָּךְ. יְיָ הוֹשִֽׁיעָה, הַמֶּֽלֶךְ יַעֲנֵֽנוּ בְיוֹם קָרְאֵֽנוּ. לַיְּהוּדִים הָיְתָה אוֹרָה וְשִׂמְחָה וְשָׂשׂוֹן וִיקָר. כֵּן תִּהְיֶה לָּֽנוּ. כּוֹס יְשׁוּעוֹת אֶשָּׂא, וּבְשֵׁם יְיָ אֶקְרָא.

חיים ויטל
(O Codigo)

No profeta Isaías está "Vital Chaim" bastando inverter para descobrir "Chaim Vital. Não fui eu que o coloquei lá. Foi o Sagrado, bendito seja Ele, pelos lábios do Profeta de Israel, Isaías filho de Amós (יְשַׁעְיָהוּ בֶן-אָמוֹץ). E há mais:

Em Sha'ar Ha'Guilgulim (O Portal das Reencarnações) - Ha'Qadmá (Introdução) 18, o Rabino Chaim Vital revelou o segredo do que cantamos no final do "Hino da Salvação" quando recitamos "ya'aneinu v'yom koreinu (יַעֲנֵֽנוּ בְיוֹם קָרְאֵֽנוּ) - Responde-nos, ó nosso Rei, no dia em que Te invocarmos". Este é o segredo da gematria 112.

Yabóq
O Segredo Do Número 112
Sha'ar Ha'Guilgulim 
Ha'Qadmá 18

"Nesse momento (da transmigração da Neshamáh) a pessoa é chamada de "Homem Completo (Adão)". Isso é dito sobre a pessoa que mereceu e alcançou uma Neshamáh de Briáh sobre a qual brilha o nome Eheyêh (אהיה) e quando, o Nome Adonai (אדני) que reluz sobre a Nefesh[5], o Tetragrammaton (יהוה) que ilumina sobre o Ruach[6] e o Nome Eheyêh que cintila sobre a Neshamáh se conectam dentro da pessoa, resultam na gematria (númerologia) de Yabók  (י"קב) que é 112 e nessa hora ele se tornou Desperto, o Buda, o Cristo, o Messias (Adão). E sobre ele é dito "Salva-nos, ó Adonai! Responde-nos, ó nosso Rei, no dia em que Te invocarmos!" E essas palavras são as iniciais em hebraico de Yabóq. E nesse momento a pessoa estará com a Néfesh de Assiá, com o Rúach de Ietzirá e com a Neshamá de Briá".

Isto é maravilhoso, estupendo, sobrenatural, porque, o nome daquele que revelou este segredo é recitado por nós quando entoamos o "Hino da Salvação" no Ritual da Separação (Havdalá) e não apenas isto, mas, até mesmo o segredo que ele viria a revelar também está lá, como uma evidência de que, este Chaim Vital não é outro se não Chaim Ben Ioséf Vital, o autor do Portão das Reencarnações.

Tradução

"Eis que Elé a minha salvação; n'Ele confiarei, e não temerei, porque o Yáh Adonai é a minha força e o meu cântico, e se tornou a minha salvação. E vós com alegria tirareis águas das fontes da salvação. A salvação vem de Adonai; sobre o teu povo seja a tua bênção. (Selá.). Adonai dos Exércitos está conosco; o Elohëi de Jacó é o nosso refúgio. (Selá.). Adonai dos Exércitos, bem-aventurado o homem que em ti põe a sua confiança. Adonai salva-nos; ouça-nos ó nosso Rei quando clamarmos. E para os judeus houve luz, e alegria, e gozo, e honra e para nós também haverá. O cálice da salvação erguerei, e invocarei o nome (יְהוָה) de Adonai".

O Ari Ha'Qadosh

Certa vez Vital disse: "- Eu e o Ari somos um!" - Em Sha'ar Ha'Guilgulim - Ha'Qadmá 10, o Arizal, pelos lábios de Chaim Vital, revelou: "- No que diz respeito a um aluno e seu mestre, nós já explicamos que o mestre doa uma centelha do seu espírito para o seu aluno, como o pai faz para com seu filho. No entanto, está é uma união mais forte, pois o espírito do mestre fica com o aluno para sempre e nunca mais se separa dalí".

Sha'ar Ha'Guilgulim - Ha'Qadmá 10

Depois que este mistério escondido no Hino da Salvação me foi revelado em maio de 2016, eu busquei percepção de tudo o que estaria ali escondido e, se o aluno está codificado em Isaías 12 desde o tempo do profeta, o mestre também está:

ישעיהו פרק יב א וְאָמַרְתָּ, בַּיּוֹם הַהוּא, אוֹדְךָ יְהוָה, כִּי אָנַפְתָּ בִּי; יָשֹׁב אַפְּךָ, וּתְנַחֲמֵנִי. ב הִנֵּה אֵל יְשׁוּעָתִי אֶבְטַח, וְלֹא אֶפְחָד: כִּי-עָזִּי וְזִמְרָת יָהּ יְהוָה, וַיְהִי-לִי לִישׁוּעָה. ג וּשְׁאַבְתֶּם-מַיִם, בְּשָׂשׂוֹן, מִמַּעַיְנֵי, הַיְשׁוּעָה. ד וַאֲמַרְתֶּם בַּיּוֹם הַהוּא, הוֹדוּ לַיהוָה קִרְאוּ בִשְׁמוֹ, הוֹדִיעוּ בָעַמִּים, עֲלִילֹתָיו; הַזְכִּירוּ, כִּי נִשְׂגָּב שְׁמוֹ. ה זַמְּרוּ יְהוָה, כִּי גֵאוּת עָשָׂה; מידעת (מוּדַעַת) זֹאת, בְּכָל-הָאָרֶץ. ו צַהֲלִי וָרֹנִּי, יוֹשֶׁבֶת צִיּוֹן: כִּי-גָדוֹל בְּקִרְבֵּךְ, קְדוֹשׁ יִשְׂרָאֵל. {ס}

O nomes Sagrados "Yud Hê Va Hê (יְהוָה)" e "Ël (אֵל)"  e as palavras "ve'zimrat (וְזִמְרָת)" e "Mayim (מַיִם)" contém as letras "Hê, Alef, Resh e Yud" que escrevem "Ha'Ari (האֵרָ"יִ)" soletradas em todo o capítulo 12 a cada 27 saltos equidistantes e com a correção dos niqud'ot (vogais) Ha'Ari (הָאֲרִ"י). Mestre e discípulo juntos na mesma canção entoada em todos havdal'ot criptografados dentro do Hino da Salvação.


Na matriz acima podemos ver que "Ha'Ari (הָאֲרִ"י)" é cruzado pelos versículos do profeta Isaías onde "Vital Chaim (ויטל חיים)" está criptografado e acima de "Ha'Ari" aparece "Qadosh". O Arizal também é conhecido por "Ha'Ari Ha'Qadosh".

O Ano Da Salvação

Por que este segredo tão profundo me foi revelado apenas no ano de 2016, no luach hebreu 5776? E por que apenas para mim? A Resposta à primeira pergunta está nos versos do Profeta Isaías e no próprio Hino da Salvação.

"Hinei el y'shuati, ev'tach v'lo ef'chad, ki ozi v'zimrat Yah, Adonai vay'hi li li'shua Ushav'tem mayim b'sason, mima'anei ha-y'shua".

הִנֵּה אֵל יְשׁוּעָתִי, אֶבְטַח וְלֹא אֶפְחָד, כִּי עָזִּי וְזִמְרָת יָהּ יְיָ, וַיְהִי לִי לִישׁוּעָה. וּשְׁאַבְתֶּם מַֽיִם בְּשָׂשׂוֹן, מִמַּעַיְנֵי הַיְשׁוּעָה

A terceira palavra é "Yeshuatí (יְשׁוּעָתִי)" ao ser permutada se transforma em 776 (תשע'ו) que foi 2016 no calendário solar. Os dois "yudim (יָיְ)" que sobraram são as iniciais de "Yáh Adonai (יָהּ יְהוָה)" como no verso em Isaías e também de "Adonai yheiêh (יהוָה יִהְיֶה) - Adonai será" e que junto com 776 se tornar "Adonai será salvação" e que (776) é também a gematria de "shanat Adonai (שְׁנַת יהוָה) - Ano de Adonai" e também de "beiat ha'mashiach (ביאת המשיח) - vem o messias". O valor 776 é também a gematria de "Yavô vai'tegalê ben David ba im Eliahu Ha'navi (יבא ויתגלה בן דויד בא עם אליהו הנביא) - Venha e descubra que o filho de David (a Era Messiânica) veio junto com Elias o profeta (a revelação da Sabedoria oculta). Portanto, 2016 foi o ano da salvação, o ano no qual a Era messiânica se revelou, o ano do Despertar.

Quanto à segundo pergunta, por que apenas para mim? Acordei hoje (12 de fevereiro), um dia depois de começar a escrever este artigo e recitei as primeiras brachot (bênçãos) ainda na cama. Me levantei, fiz o netilat yadaim (ablução das mãos), realizei a minha higiene pessoal e vim para o quarto e recitei o meu shacharit (preces matinais). Me sentei na cama e como costumo fazer uma ou duas vezes na semana, fiz o teste de glicose usando um glicosímetro (não, eu não tenho diabetes) e o resultado foi 123 mg/dl (miligramas por decilitros). O valor 123 é a gematria hebraica de Hayim Vital(חיים ויטל) e do meu nome civil que é Paulo (פאולו). Geralmente, a minha glicemia é de 95 a 110 mg/dl, mas hoje foi exatamente 123.

Por que não 122 ou 124? Mas exatamente 123? A Torá diz: "Porque a alma de toda carna está no seu sangue (כִּי-נֶפֶשׁ כָּל-בָּשָׂר, דָּמוֹ בְנַפְשׁוֹ הוּא)" - Vay'krá 17:14. Como a alma está no sangue ela imprime sua assinatura no próprio sangue.

O Portão das Reencarnações ensina que até quatro nafeshot (almas) podem habitar o coração de uma pessoa, mais que este número não é possível, porque quatro são as letras do Sagrado Nome de D'us.

Em dezembro de 2003, fui acometido por uma crise renal no rim esquerdo e tive que ser levado à Santa Casa para fazer exames e ser medicado. O resultado do exame apontou 216.000 plaquetas por mg/dl. Ora, duzentos e dezesseis é a gematria de "Ha'Ari". O Sêfer ha'Yetzirá (Livro da Formação) revela que o rim esquerdo foi criado pela letra hebraica "Tet (ט)" e que também criou Leão no universo. 


Gematria 583

Em abril de 1999, três anos após o início do meu despertar, eu estava viajando através da BR 381 visitando algumas cidades do interior de Minas Gerais. Dois anos depois, em 23 de abril de 2001, aluguei a casa número 583 onde nossa Sinagoga Elijah seria estabelecida. A data de 23 de abril é a do ocultamento da alma do rabino Chaim Vital. Eu havia recebido minha ordenação rabínica e passei a ser chamado de Rav Misha'Ël (רב מישאל) cuja gematria é exatamente 583 e este meu presente agora me foi mostrando com um futuro quando viajava pela BR 381. O valor 381 é a gematria de Misha'Ël e BR se escreve com as letras Resh e Beit (רב) formando o titulo Rav.

Nossa sinagoga era K'nesset Elijah (כנסת אליהו) - Sinagoga Eliahu - cuja gematria "Im ha'Kollel" é igual a 583.

Quando o Arizal chegou a Safed, ele foi frequentar a K'nesset Eliahu que havia lá e que, segundo a lenda, foi onde o próprio Eliahu ha'Novi (Profeta Elias) rezou.



Este mesmo valor (583) é a gematria de "Yavô Tzfat (יבא צפת)" cujo significado é "Veio de Safed". No final de 1999, antes destes eventos maravilhosos, eu estava caminhando por uma rua em Suzano, quando tive um sonho lúcido. Eu vi uma Casa (בית) onde havia uma placa com os dizeres "Sinagoga Elijah" e eu nem tinha qualquer intenção de ser um rabino ou ter uma sinagoga.

No dia 5 de Av de 5763 (3 de agosto de 2003) exatamente no dia do hilulá (ocultamento) do Arizal, eu fui circuncidado neste vida na casa de número 583.


Reportagem (2004) onde o nome da nossa Sinagoga
"K'nesset Elijah" é mencinado.



Reencarnação Do Ombro Esquerdo

Você leu ali em cima, na citação do Sha'ar Ha'Guilgulim - Introdução 38 - que o Arizal revelou ao Rabino Chaim Vital que ele (sua néfesh) era a reencarnação do ombro esquerdo de Adão. Reencarnação do ombro se diz em hebraico "guilgul katéf (גילגול כתף)" cuja gematria "im ha'kollel" é exatamente igual a 583. Já esquerdo em hebraico é "semolí (שמאלי)" palavra que possui as mesma letras de "Misha'Ël (מישאל)" bastando que se faça uma temurá (permutação) para que o nome seja revelado.

A partir do dia 23 de abril de 2001, assim que aluguei a casa 583 para ser a K'nesset Eliahu, fui acometido de uma dor intermitente no ombro esquerdo e que nunca mais me abandonou. Agora mesmo, enquanto escrevo, todo o ombro esquerdo me dói.


Gematria 123

No final de 2003, motivado pelas centelhas reencarnadas em mim, mudei a sinagoga para a cidade de Mogi das Cruzes, para o número 106. Hoje, nos momentos em que estava meditando sobre este assunto, tive outro sonho lúcido e vi que o número da casa da frente da nossa K'nesset Eliaju era 123. Fui no Google mapas e digitei o enderenço e para minha surpresa a visão se confirmou. Como dito acima, 123 é a gematria de Chaim Vital.


Placa que recebi após uma palestra em uma Loja
Maçônica em São Paulo.

Hoje pela manhã, quando eu fiz o teste de glicose, eu não sabia que iria postar este segredo sobre o qual vinha meditando desde maio de 2016 quando o recebi, mas a alma, que está no sangue, é que sabe os tempos e as épocas nos quais os segredos divinos devem ser revelados.

O Glicosímetro com o valor 123 mg/dl
na manhã de 12 de fevereiro de 2017.

Sinais & Evidencias De Uma Reencarnação

Quando nossa K'nesset se mudou para a casa 583 depois de haver ficar dezesseis meses em uma garagem emprestada, o dia 23 de Abril coincidiu com o dia 30 de Nissan - Hilulá de Rabbi Chaim. O Rabi Chaim faleceu no dia 3 de maio de 1620 que foi, no luach hebreu o dia 30 de Nissa de 5380. Depois, com a mudança do calendário juliano vigente na época para o gregoriano, o dia passou a ser o de 23 de abril. O dia 3 de maio é o 123º dia do ano solar! Acaso?


Print do Jornal Israelense "Ha'Aretz (O País)"
"Neste dia na história judaica: 1620 - O Cabalista Rabbi Chaim Vital
morre".


Em Ezra pereq 2, 21º passuq (versículo), está escrito: "B'ney Beith-lechem:- Méa asserim u'shloshá (בְּנֵי בֵית-לָחֶם, מֵאָה עֶשְׂרִים וּשְׁלֹשָׁה) - Os filho de Belém:- Cento e vinte e três (123)". Não é novidade para os que já me conhecem há muitos anos que eu nasci no Belenzinho, um bairro da cidade de São Paulo localizado na região adjacente à Paróquia São José do Belém, no distrito do Belém, e que meu nove civil é Paulo cuja gematria é exatamente 123.



Acima, na matrix criptográfica, temos "Ha'Ari no centro em amarelo e Vital em vermelho na diagonal e, ao lado direito de Vital temos o verso "Os filhos de Belém: Cento e vinte e três (Ezra 2:21)".

Rebbe Chaim Vital faleceu no ano 380 do 5º milênio do calendário hebraico. Seu primeiro yahrzeit (memorial) foi no ano 381. Eu fui odernado Rabino da nossa "k'nesset Eliahu 381 anos depois do falecimento do Rabino Chaim e meu nome hebraico, Misha'ël tem a gematria igual a 381.

"A vela yahrzeit, chamada de vela memorial ( hebraico : נר נשמה - ner neshama - significa "vela da alma) é um tipo de vela que é iluminada em memória dos mortos na QABALAH . Este tipo de vela, que queima até 26 horas, também é acesa na véspera de Yom Kippur ou da cerimônia do Dia da Lembrança do Holocausto (Yom Ha'Shoah) para queimar durante toda a ocasião".

Um ano depois, exatamente no dia 23 de abril eu fui realizar uma palestra em uma loja maçônica em São Paulo onde ganhei a placa vista acima na foto. Em março, sentindo toda esta revolução no meu interior, a saudade de Safed queimando a alma, eu fui ao Centro de Estudos da Cabalá, na rua Conselho Brotero para o Shacharit de Shabat e com intenção de me aconselhar, ouvir uma palavra de recepção, boas vindas, sentir o amor de um cabalista, o Rabino Joseph Saltoun, que era o Professor do Centro naqueles dias. As únicas palavras que ouvi do rabino foram "- Faça pelo menos a circuncisão". As pessoas tinham preconceito religioso porque possuíamos uma sinagoga a nos elevamos ao rabinato por reencarnação e não por aceitação de um dogma religioso.

Naquela manhã estava lá, também, um empresário afro-americano, ex-pastor evangélico convertido ao judaísmo, e que era aluno do rabino Saltoun, chamado James Leander Kitchen e que já me era conhecido de ouvidos, pois, sabendo de nossa k'nesset em Suzano, abriu uma loja de artigos judaicos na Praça dos Expedicionários, mas eu não o conhecia fisicamente, pois não o tinha visto ainda. James me caluniava dizendo que eu não era judeu e nem rabino e tentava de todas as formas destruir nosso trabalho espiritual. Ele não me conhecia pessoalmente, nunca havia me visto e, desinformado, se aproximou e começou a me caluniar ali mesmo, me chamando de falso, ladrão e outros apelidos pejorativos. Ao ouvi-lo comentendo lashon ha'rá (maledicência) em plena Shabat, o rabino Saltou o repreendeu, pedindo para que ele se calasse. James saiu da sala e do prédio. Ao sairmos, eu e meus alunos, nós o vimos em seu carro estacionado na rua.

Duas semanas depois, ainda no mês de março, seguindo com sua perseguição a mim e com intenção de me destruir, James publicou, em uma revista que mantinha naqueles dias chamada Shomer Yisrael, uma série de calúnias contra mim, e como os membros da nossa k'nesset Elijah estavam cadastrados em sua loja de artigos judaicos, ele mandou um exemplar da sua revista a cada um dos membros da nossa sinagoga na sexta, um pouco antes da Recepção da Shabat ha'malká.

Alguns minutos antes do ritual ser iniciado por mim, um dos membros chamado Samuel Lopes, trouxe ao meu conhecimento a tal revista. Eu a tomei e li as calúnias contra mim e fiquei muito triste. Quando a sala estava repleta, eu tomei à frente e chorando li as calúnias que James havia praticado contra mim. Lembrei-me da oração do Rei Chizkiáhu de Judá quando foi afrontado por Senaqueribe. Chorei novamente e pedi ao Sagrado, bendito seja Ele, apenas por justiça, pois eu estava me esforçando para fazer o bem.

Alguns dias depois, em 12 de abril de 2002 - 30 de Nissan, no hilulá de Rabi Chaim Vital - James foi dormir com uma amante em um Flat na Aclimação em São Paulo. Na manhá do dia seguinte, ele foi surpreendido por sua esposa e tentando fugir do fragrante adultério, caiu da janela do 5º andar e morreu.

Print do Jornal do dia 14 de Abril

James morreu por cometer lashon ha'ra contra uma centelha sagrada. Ele falece no último dia de leitura da Porção Metzorá (הַמְּצֹרָע) da Torá que adverte sobre as consequência da maledicência:

"Esta será a lei da pessoa afligida com tzara'ath (נֶגַע-הַצָּרַעַת), no dia da sua purificação ... e a pessoa a ser purificada terá dois pássaros vivos e limpos, um pedaço de cedro, uma tira de lã carmesim e hissopo. O kohen (Sacerdote) ordenará, e um matará o um pássaro em um vaso de barro, sobre água de nascente. Ave viva, tomá-la-á, e o pedaço de cedro, a tira de lã e o hissopo, e, juntamente com o pássaro vivo, mergulhá-los-á no sangue da ave abatida , Sobre a água de nascente. Então, aspergirá sete vezes sobre a pessoa que está sendo purificada do tzara'ath, e ele o purificará. Ele então enviará o pássaro vivo para o campo (aberto).

Levítico 14: 2-7

Estes versos descrevem o processo de purificação de uma pessoa afligida com, tzara'ath , lepra. Esta aflição é comumente entendida como sendo causada por falar lashon hara (conversa caluniosa). Uma das razões sugeridas para trazer aves é que os pássaros "tagarela" refletindo sem pensar como a metzora é afetada por falar mal sobre os outros".

Estes foram os eventos e milagres que me aconteceram, para revelar as centelhas sagradas dentro de mim e revelar a sabedoria e o poder do Santo, bendito seja ele.

Ainda hoje eu sou tido com falso judeu, falso cabalista e nenhum destes ditos "grandes cabalistas modernos" jamais quis se aproximar de mim, nunca me procuraram ou me fizeram qualquer convite para participar de algum seminário ou encontro. O preconceito rege suas almas...

"E sucedeu que, entrando eles, viu a Eliabe, e disse: Certamente está perante o Senhor o seu ungido. Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração".

Iº Samuel 16:6 e 7

Certa vez, nos conta o Zohar em Parashat Pinchás, um sábio gentio (Grego) lançou um desafio sobre Rabi Eliezer Hircano sobre uma questão da Torah. Cheio de ego e arrogância, o sábio gentio continuou repreendendo Rebe Eliezer, dizendo: "Vovô, vovô, não tente me responder porque eu não vou ouvir qualquer coisa que você disser. E eu não vou aceitar uma resposta de você." Rebe Eliezer ficou em silêncio por um momento, então ele levantou os olhos e olhou para ele e reduziu-o a uma pilha de ossos - basicamente, ele o vaporizou.

"Ai do homem, diz Shimeon bar Yohai, que afirma que esta Torá pretende se relacionar unicamente com coisas banais e narrativas seculares, pois, se assim fosse, então, nos tempos atuais também a Torá poderia ser escrita com narrativas mais atrativas. Na verdade, porém, a questão é assim: O mundo superior e inferior são estabelecidos sobre um e o mesmo princípio; no mundo inferior é Israel (consciência) , no mundo superior são os anjos. Quando os anjos desejam descer ao mundo inferior, eles têm que vestir roupas terrenas. Se isto é verdade para os anjos, quanto mais para a Torá, por quem, de fato, o mundo e os anjos foram criados iguais e existem. Todo o mundo poderia simplesmente não ter suportado olhar sobre ela. Agora, as narrativas da Torá são as suas vestes. Aquele que pensa que estas peças de vestuário são a própria Torá merece perecer e não têm participação no mundo vindouro. Ai dos tolos que não procuram mais do que vêem. Um roupão elegante não é mais valioso do que o corpo que o carrega, e mais valiosa que o corpo é a alma que o anima. Tolos! vêem apenas a roupa da Torá! O inteligente vê o corpo, o sábio porém vê a alma, mas no tempo messiânico, do Despertar, "alma superior" da Torá (os seus segredos ocultos) será revelada". 

Do Zôhar Ha'Qadosh


Autor
Dipankara Vedas
"Misha'Ël Ha'levi"
(Paulo Sergio Batalini)

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

O Esconderijo Do Messias


9 de fevereiro do ano dezessete, décimo terceiro dia do luach hebreu de chodesh Shevat, ciclo da emanação guevurá do vigésimo primeiro século (méa asserim ve'achat). Por volta das dezessete horas o sino de vento começou a tilintar e senti a aproximação da Shechiná e como, de acordo com a Torá era véspera da Shabat e já havia preparado as velas e o altar, mergulhei na consciência elevada das águas de Biná (Compreensão Divina). Amo profundamente este momento em que posso recepcionar a Shabat ha'Malká.


"Os sinos avisam quando o Espírito se aproxima" -.


Crônicas De Qédem

A Torá aconselha: "Zachor et iom a Shabat le'qadshô. Sheshet yamim ta'evór, ve'assitá kal melachtêcha (ז זָכוֹר אֶת-יוֹם הַשַּׁבָּת, לְקַדְּשׁוֹ. ח שֵׁשֶׁת יָמִים תַּעֲבֹד, וְעָשִׂיתָ כָּל-מְלַאכְתֶּךָ.) - Recorda-te do dia da Shabat para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra".

Shemót 20: 7

Torá não diz "lembra-te do dia de sexta feira..." mas "recorda-te do dia da shabat...". O Zôhar diz que D'us sempre é encontrado no sete e não na sexta feira. A shabat deve ser recepcionada na véspera do sétimo dia, ou seja nos dias 6, 13, 20 e 27 do mês hebreu ao entardecer e não às sextas feiras romanas.

Apesar de não haver problema algum em recepcioná-la as sextas, pois o que importa é a realização do preceito positivo e a consciência da shabat. O Zôhar ensina: "O décimo quarto preceito é observar a Shabat, que é um dia de descanso de todos os atos da Criação. Há dois preceitos incluídos aqui. Uma é observar o dia da Shabat, e um é anexar este dia à sua santidade. Isto significa trazer para baixo as águas dos pensamentos elevados da Sabedoria (Chochmá) que são chamados Santidade". É um preceito positivo (não de acordo com o Rambam) estudar a sabedoria escondida da Torá no dia da Shabat.

Acendi as velas, recitei as preces de acordo com a tradição esotérica do Zen das Areias e das Dunas e me sentei na cama para meditar. O aroma do Jardim do Éden impregnou o quarto e os céus se abriram e eu ouvi as vozes na Academia Celestial e a Shechiná veio e me beijou e quando seus lábios tocaram os meus eu tive uma visão de um Cometa nos céus e a Shabat sussurrou ao meu ouvido: "O messias se esconde no Pilar de Nuvem". Enquanto eu a ouvia e sentia o perfume edênico que fluía dos maravilhosos lábios dela, outra visão me tomou e eu vi a Torá aberta em Shemót pereq (capítulo) 14 versículo 19 e dentro deste verso eu vi a palavra Mashiach (משיח) e ainda com a consciência tomada pelo aroma dos céus, levantei-me e fui ver na Torá para confirmar o que me havia sido revelado.

יט וַיִּסַּע מַלְאַךְ הָאֱלֹהִים, הַהֹלֵךְ לִפְנֵי מַחֲנֵה יִשְׂרָאֵל, וַיֵּלֶךְ, מֵאַחֲרֵיהֶם; וַיִּסַּע עַמּוּד הֶעָנָן, מִפְּנֵיהֶם, וַיַּעֲמֹד, מֵאַחֲרֵיהֶם

Claro que eu fiquei estupefato! Imediatamente meus olhos físicos encontraram Mashiach (משיח) dentro do passuq soletrado a cada cinco intervalos equidistantes (SAEs: Saltos Alfabéticos Equidistantes), matematicamente perfeito, como você mesmo (a) pode ver acima no passuq hebraico.

O verso diz: "E o anjo de Elohim, que ia diante do acampamento de Israel, se retirou, e ia atrás deles; também a coluna de nuvem se retirou de diante deles, e se pôs atrás deles". 

Êxodo 14:19

Estes três pessuqim (19, 20 e 21) do pereq (capítulo) 14 são muito importantes, pois são onde os 72 Nomes de D'us estão codificados. São três versículos com 72 letras hebraicas cada um, somando um total de 216 letras que são o segredo do Nome Santo de 216 Letras, segredo que se encontra dentro da Parashá (Porção) Beshalach e que, não por acaso é a Luz que rege esta semana de fevereiro. Está Porção se inicia no passuq dezessete do capítulo treze de Shemot. E o que lemos no verso vinte e um do capítulo treze?

כא וַיהוָה הֹלֵךְ לִפְנֵיהֶם יוֹמָם בְּעַמּוּד עָנָן, לַנְחֹתָם הַדֶּרֶךְ, וְלַיְלָה בְּעַמּוּד אֵשׁ, לְהָאִיר לָהֶם--לָלֶכֶת, יוֹמָם וָלָיְלָה. 

"E o Yud Hê Vav Hê (יהוָה) ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem (be'amud anan) para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para os iluminar, para que caminhassem de dia e de noite". Êxodo 13:21 A coluna de nuvem é o segredo dos Setenta e Dois Nomes de D'us, como se pode ver acima, onde "be'amud anan (בְּעַמּוּד עָנָן)" tem suas iniciais em gematria igual a 72. O que os israelitas estava fazendo enquanto estavam acampados diante do Yam Suf (mar do infinito/mar vermelho) quando um maravilhoso cometa pairava nos céus naquele mês de Aviv (Nissan)? Voltemos ao passuq dezenove do capítulo 14:

יט וַיִּסַּע מַלְאַךְ הָאֱלֹהִים, הַהֹלֵךְ לִפְנֵי מַחֲנֵה יִשְׂרָאֵלוַיֵּלֶךְמֵאַחֲרֵיהֶם; וַיִּסַּע עַמּוּד הֶעָנָן, מִפְּנֵיהֶם, וַיַּעֲמֹד, מֵאַחֲרֵיהֶם

A primeira letra de Mashiach, o mem (מַ), se encontra na palavra "machenêh (מַחֲנֵה)" que alguns tradutores, se não a grande maioria, traduziram para "exército" mas que de fato significa "acampamento". E o que era este acampamento? É "mem-chenêh (מַ-חֲנֵה)". Mem (מַ) é uma preposição subordinativa, significando uma ligação/conexão. Mem é "de, desde, a partir de..".

Já "chenêh (חֲנֵה)" é como o segredo de "Channáh (חַנָּה)" a mãe do profeta Sh'muel e de acordo com os Sábios, Channáh (חַנָּה)" é um acrônimo de "Chochmat Nistar Ha'Torá (חוכמה נסתר התורה)". Se você olhar com cuidado vai notar que as suas iniciais formam "chenêh/channáh".

חוכמה נסתר התורה

O que os israelitas estavam fazendo enquanto um maravilhoso Cometa os iluminava naquela noite diante do mar? Estava estudando a Torá Escondida. Mechenêh significa "mem-channáh (מַ-חַנָּה)" ou seja, "a partir da Sabedoria Escondida da Torá" ou "desde o oculto não revelado da Sabedoria Escondida da Torá". Eles estavam revelando mistérios e meditando nos 72 Nomes (a coluna de nuvem) para criar o milagre da abertura do iam suf e como o verso revela, o messias se esconde nos 72 Nomes e a cada vez que um novo mistério do Shem ha'Meforash é trazido à tona, o messias se revela, ou seja, sai do seu esconderijo.


Como estes três pessuqim possuem 72 letras cada e que permutadas revela o messias (os 72 Nomes), os Nomes onde as quatro letras de Mashiach estão escondidas são:

מלה
"מילים לנסתר התורה"

שאה 
"שֶׁאָהֲבָה נַפְשִׁי"

יחו 
יהוה חונני ויענני

חעמ 
חונך עיבור משיח

O primeiro é "Milah'Ël (מלה). O segundo é "Se'e'Yah (שאה)". O terceiro é Yechu'Yah (יחו). O quarto e último é "Cho'am'Yah (חעמ)". O primeiro contem as inciais de "Milim Le'nistar Ha'Torá (מילים לנסתר התורה) - Palavras Escondidas Da Torá". O segundo contém as iniciais de "She'Ahavá Nafshi (שֶׁאָהֲבָה נַפְשִׁי) - Onde está aquele a quem a minha alma ama (Cãnticos 3:1)". O terceiro contém as iniciais de "Adonai chanení ve'eneni (יהוה חונני ויענני) - Adonai seja bondoso para comigo e me responda". O quatro e último contém as iniciais de "Chonech Yibur Mashiach (חונך עיבור משיח) - Instrui a reencarnação do messias".

O Arizal (Rabino Isaac Lúria) revelou que o messias vive em todas as pessoas pelo segredo de "yibur". E o que é yibur? Yibur (hebraico: עיבור, "gravidez" ou "impregnação" ou "incubação"), é uma das formas de transmigração da alma e tem semelhanças com Gilgul neshamot (reencarnação de almas). Portanto, o messias vive em todos nós pelo segredo de yibur e nós temos que revelá-lo e o meio para isto é o estudo da Torá Escondida e a revelação de novos mistérios ocultos nos 72 Nomes, o que eu chamo de "660 Segredos".


Autor
Dipankara Vedas
Misha'Ël Ha'Levi
"Pelos Lábios Da Shechiná"

Compre aqui o livro 'Kalamus Elohai'



quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

O Segredo Das Tâmaras


O Segredo Da Tamareira 

"Tzadik KaTamar Yifrach k'erez ba'lvanon yisgeh. Shetulim b'veit Adonai B'chatzrot Eloheinu Yafrichu Od Y'nuvun b'sevah d'shenim v'rananim yihyu L'Hagid Ki Yashar Adonai Tzuri V'lo Avlata Bo".

צַדִיק כַּתָמָר יִפְרָח כְּאֶרֶז בַּלְּבָנוֹן יִשׂגֶּה. שְׁתוּלִים בְּבֵית יְיָ. בְּחַצְרוֹת אֶלֹהֵינוּ יַפְרִיחוּ עוֹד יְנוּבוּן בְּשֵׂיבָה דְּשֵׁנִים וְרַעַנַנִּים יִהְיוּ. לְהַגִּיד כִּי יָשָׁר יְיָ צוּרִי וְלֹא עַוְלָתָה בּוֹ

O justo florescerá como a palmeira e crescerá como cedro no Líbano. Plantado na casa de Adonai, ele florescerá nos átrios do nosso Elohim. Ainda produzirá fruto na velhice; Estará fresco e cheio de seiva; Declaro que o Adonai é reto; Ele é a minha Rocha, em que não há desrespeito".

Canção Da Shabat


Zôhar Vaykrá
"Os Justos Florescerão Como A Palmeira

"O homem justo floresce como a palmeira" fala do exílio em Babilônia, do qual a Shechiná retornou a Seu lugar somente depois de setenta anos. Por isso, diz: "Porque assim diz o Yud He Va He: Certamente que passados setenta anos em babilônia, vos visitarei, e cumprirei sobre vós a minha boa palavra, tornando a trazer-vos a este lugar. (Jeremias 29:10). Isto é "o justo floresce como a palmeira", pois cresce como homem e mulher por setenta anos. O justo é o Santo, bendito seja Ele, que voltou à babilonia após setenta anos. Por isso, está escrito: "Pois Hashem é justo, Ele ama a justiça" (Tehilim 11: 7), "Hashem é justo" (Shemot 9:27) e "Dizei aos justos que lhe será bem" (Yeshayah 3:10). Ele cresce como um cedro no Líbano" (Tehilim 92:13). O que é um cedro? É o Santo, bendito seja, como está escrito: "Excelente como os cedros" (Shir Hashirim 5:15). "Ele cresce ... No Líbano..." (Ibidem), certamente no Líbano, que é o Éden superior, chamado Chochmá (Sabedoria), do qual está escrito: "nem o olho viu um Elohim além de Ti" (Isaías 64: 3) . O cedro, Zeir Anpin, crescerá nesse lugar alto".

Tâmaras & Conversas Místicas

Os místicos sábios da Cidade de Tzfat (צְפַת) - Safed - costumavam estudar os mistérios dá Torá Sagrada e da QABALAH sob o perfume maravilhoso das tâmaras enquanto delas também se alimentavam. 

Quando a maioria de nós lê um relato que contém estas narrativas, não atentamos para os códigos neles escondidos. 

Durante os anos em que eu trabalhava escrevendo as Crônicas De Qédem, uma personagem mítica e maravilhosa surgiu na minha alma:- As Qoren-Tamar (קרן תמר) - As Tamareiras Reluzentes. Sempre que as personagens das Crônicas De Qédem estão envolvidos em algum ritual esotérico, estes estão usando colares feitos com os frutos reluzentes das Qoren-Tamar. Há uma netivá (senda espiritual) em Qédem onde foram plantadas setenta Tamareiras reluzentes e onde brotam doze fontes de águas. 

Mas afinal, o que é a tamareira? Você já deve ter ouvido ou lido o nome Tamar (תמר) que é o hebraico de onde Tamareira emergiu etimologicamente, algumas vezes "Tomer (תומר)" como no nome do ator judeu que interpreta a personagem Largo no filme de 2008 Largo Winch. Tomer Sisley (תומר סיסלי) é o nome dele. 

Tamar é a raiz de Temurá (תמורה) cujo significado é Permutação. Quando os sábios estavam estudando Torah, eles estavam permutando suas palavras para extrair tâmaras, ou seja, segredos divinos do Pardes Tomerim - O Pomar das Tamareiras - eles estavam alimentando as suas almas com os frutos escondidos da Torá Escondida, porque a Torá é uma tamareira que alimenta a alma.

A tamareira (do árabe التمر "tamar") ou datileira (Phoenix dactylifera) é uma palmeira extensivamente cultivada pelos seus frutos comestíveis, as tâmaras. Pelo fato de ser cultivada há milênios, a sua área natural de distribuição é desconhecida, mas seria originária dos oásis da zona desértica do norte de África, embora haja quem admita uma origem no sudoeste da Ásia.

Fonte: Wkipédia

Zôhar Porção Vaykrá
As Quatro Espécies

"Ramos de palmeiras: A palmeira cresce por setenta anos, uma alusão a Yesód de Zeir Anpin (Chesed, Guevurá, Tiféret, Netzach, Hód e Yesod), no qual são construídos os setenta anos supernais. A palavra shaná (ano) tem a mesma gematria da palavra sefirá (emanação). Zeir Anpin é o segredo dos Seis Sefir'Ot mencionados acima e Malchut (nosso mundo). cada um deles incluindo dez sefir'ot internos somando setenta. É amarrado (Heb. Nichpat), isto é, anexado acima de Zeir Anpin e abaixo de Malchut. Ele é, portanto, chamado ramos (Heb. Kapot), que significa "ligado deste Yesod" e se levanta a este lugar e que é Zeir Anpin e Malchut. Por isso, as palavras: "Porque tudo o que está no céu e na terra" (Divrei Hayamim I: 29:11) são precisas, significando que Yesod é chamado "tudo o que esta nós ceus".

Setenta é o segredo da palavra Sód que é mistério e portanto a Tamareira faz alusão aos mistérios sagrado da Torá.

Devem ser repletas com muitas velas e muitas tâmaras as casas dos verdadeiros qabalistas. A palavra vela vem do hebraico "Ner (נר)" que contém as iniciais de "Nefeshot ve' Ruchot (almas e espíritos)" pois os sábios dá Academia Celestial amam estar presentes enquanto muitas tâmaras perfumam com seu aroma as residências dos místicos estudantes da Torá. 

Autor
Deepak Sankara Veda​

Compre aqui o livro 'Crônicas De Qédem'

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

O Apostolo Paulo & o Rabino Akiva


Advertência: A intenção deste artigo não é bajular o cristianismo, seja ele romano ou evangélico, e sim fornecer sabedoria e libertação das religiões. 

O Apostolo Paulo e seu testemunho sobre o Grande Cabalista, o Rabino Akiva Ben Yosef:- Antes de esclarecer o assunto e arrancá-lo do domino das falsas interpretações cristãs-evangélicas, e preciso estabelecer a relação em comum de Paulo e Akiva com um mestre sagrado chamado "Gamaliel". Paulo (supostamente) escreveu:- 

"Quanto a mim, sou judeu, nascido em Tarso da Cilícia, e nesta cidade criado aos pés de Gamaliel, instruído conforme a verdade da Torá de nossos pais, zelador de Deus, como todos vós hoje sois".

Atos 22:3 

Quem foi Gamaliel: Gamaliel ha'Zaken (o Ancião), ou Rabban Gamaliel I, foi uma das principais autoridades no Sinédrio no início do século I dC. O nome de Gamaliel o Ancião também foi escrito como Gamliel (hebraico: רבן גמליאל הזקן). Na tradição cristã, Gamaliel é reconhecido como um fariseu mestre da Torá. O capítulo 5 dos Atos dos Apóstolos fala de Gamaliel como um homem, considerado em grande estima por todos os judeus, que admoestou para não condenar os apóstolos de Jesus em Atos 5:34 à morte, e como o mestre de Paulo o Apóstolo em Atos 22: 3. O Talmude relata que Akiva também foi aluno de Raban Gamaliel estudando na casa de Gamaliel. 

A despeito do titulo deste artigo, eu mesmo acho muito difícil que Paulo tenha conhecido o Rabi Akiva, uma vez que paulo nasceu em 5 da era comum e morreu no ano 67 D.C e Akiva nasceu no ano 50 D.C e morreu no ano 132 D.C. O que eu acho mais fácil que tenha acontecido é que, como todos os relatos dos cabalistas, os Bispos do Concílio de Nicéia em 325 D.C, ao criarem o "Canône" do chamado Novo Testamento, tomaram os escritos e relatos dos cabalistas e ascrescentaram a ele, em todos os lugares onde havia menção da palavra "Mashiach (Messias/Cristo)" o nome Jesus e não foi diferente com a entrada de Rabi Akiva no Pardes, e para apoiar isto, forneço a evidencia: 

"Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu. E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar".

2 יָדַעְתִּי אִישׁ בַּמָּשִׁיחַ אֲשֶׁר לֻקַּח עַד־לָרָקִיעַ הַשְּׁלִישִׁי זֶה אַרְבַּע־עֶשְׂרֵה שָׁנָה אִם־בַּגּוּף לֹא יָדַעְתִּי אוֹ־מִחוּץ לַגּוּף לֹא יָדַעְתִּי הָאֱלֹהִים יוֹדֵעַ׃ 3 וְהָאִישׁ הַהוּא אִם־בַּגּוּף אוֹ־חוּץ לַגּוּף לֹא יָדַעְתִּי הָאֱלֹהִים יוֹדֵעַ׃ 4 הֹעֲלָה אֶל־הַפַּרְדֵּס וַיִּשְׁמַע דְּבָרִים נִסְתָּרִים אֲשֶׁר נִמְנָע מֵאִישׁ לְמַלֲלָם׃

2 Coríntios 12:2-4 

O que está entre parênteses foi acréscimo dos bispos e tradutores católicos e cristãos protestantes. O texto hebraico, a palavra paraíso foi traduzida do hebraico "PARDES" ao invés de "Gan Éden (Jardim do Éden)". E o que é o PARDES? É um acrônimo formado pelas inciais dos 4 métodos de estudo da Torá Sagrada: P'shat (פְּשָׁט) - "superfície" o significado literal. Remez (רֶמֶז) - "sugestões" o significado profundo (alegórico: oculto ou simbólico) além do sentido literal. Derash (דְּרַשׁ) - do hebraico darash: "inquirir" ("procurar") - o significado (midrashico) comparativo, como dado através de ocorrências semelhantes. Sód (סוֹד) - "segredo" ("mistério/Cabalá/Zôhar") o significado esotérico/místico, dado por inspiração ou revelação. 

Sobre Rabino Akiva é dito que ele foi um dos quatro rabinos que entraram no PARDES e o único que sobreviveu incólume e, portanto, Paulo (ou quem atribuiu a ele) não estava falando de si mesmo, mas o Rabino Akiva. Paulo era um cabalista, como indoca os seus ensinamentos: 

"Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados (הִנֵּה סוֹד אֲגַלֶּה לָכֶם אֲנַחְנוּ לֹא כֻלָּנוּ נִישַׁן הַמָּוֶת אֲבָל כֻּלָּנוּ נִתְחַלָּף׃)" 

Coríntios 15:51 

No hebraico está escrito "Hinê sód egalê lachem... (eis que vos digo um segredo da cabalá)". Paulo estava revelando os segredos do Zôhar e uma evidência disto está em sua carta aos hebreus (pelo menos atribuída a ele): "O qual, sendo o resplendor da sua glória (וְהוּא זֹהַר כְּבוֹדוֹ)" - Hebreus 1:3. Em hebraico "Ve'hú Zôhar kevodô" que literalmente é "E ele, o Zôhar da Sua glória...". 

Ainda sobre o PARDES, lemos: "Pardes (em hebraico: פרדס pomar) é o assunto de uma aggadah judaica (conto esotérico) sobre quatro rabinos do período Mishnaico (1 º século CE), que visitaram o pomar secreto (ou seja, o Paraíso): "Quatro homens entraram pardes - Ben Azzai, Ben Zoma, Acher (Eliseu ben Abuyah), e Rabi Akiva. Ben Azzai olhou e morreu; Ben Zoma olhou e enlouqueceu; Acher destruiu as plantas (corrompeu os mistérios transformando-os em heresias) e Akiva entrou em paz e saiu em paz (Talmude Babilônico Hagigah 14b)". 

Sobre o terceiro céu (são sete): "Vilon (וילון), veja também (Isaías 40:22). Raki'a (רקיע), veja também (Gênesis 1:17). Shehaqim (שחקים), veja (Salmos 78:23). Zevul (זבול), veja (Isaías 63:15, I Reis 8:13). Ma'on (מעון), veja (Deuteronômio 26:15, Salmos 42:9). Machon (מכון), veja (I Reis 7:30, Deuteronômio 28:12). Aravoth (ערבות), o sétimo céu onde os Ofanins (ou Tronos na mitologia cristã) e as Hayyoth (ou Serafins na mitologia cristã) residem".

Palavras Inefáveis

"Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar (הֹעֲלָה אֶל־הַפַּרְדֵּס וַיִּשְׁמַע דְּבָרִים נִסְתָּרִים אֲשֶׁר נִמְנָע מֵאִישׁ לְמַלֲלָם׃)".

2º Corintios 12:4

Na verdade, não existe "palavras inefáveis" no verso e sim "devarim nistarim (דְּבָרִים נִסְתָּרִים)" que aludem aos segredos escondidos da Torá Oculta. O plural nistarim (נִסְתָּרִים) tem raiz em nistar (נִסְתָּרִ) que é "oculto/escondido" e, como explicado, alude à Torat Nistar que é o Zôhar Sagrado.

A minha intenção aqui é ajudar os cristãos a compreender o quão enganados foram por papas, bispos, padres e pastores (estes últimos cheios de ego e vazios de sabedoria). 

Ainda há a questão de que Paulo cita muito pouco o nome Jesus (Yeshu'a) em suas cartas usando mais o termo "Mashiach" porque o movimento de Paulo era o do Despertar do Cristo interior para que todos se tornassem cristos: "Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te iluminará (עוּרָה הַיָּשֵׁן וְקוּמָה מִן־הַמֵּתִים וְיָאֵר לְךָ הַמָּשִׁיחַ׃)" - Efésios 5:14. Estranhamente ele não diz "e Jesus te iluminará". É bem fácil notal que Jesus foi acrescentado pelos tradutores. Veja, a bíblia Edição Pastoral cita Jesus 1968. a Almeida Revista e Atualizada 1140 e a Ave Maria 626. A discrepância dos números revela a manipulação. Fica estabelecido e evidenciado que Paulo não entrou no PARDES, mas o verso é uma alusão ao Rabino Akiva Ben Yosef que foi o mestre de Rabi Shimeon bar Yochai que revelou o Zôhar trazendo do escondido para a luz. 

"O ADORMECIDO DEVE DESPERTAR".


Autor
Dipankara Vedas
Misha'Ël Ha'Levi

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Duna, o Presidente Obama e a Inauguração da Era messiânica


Tenho estudado Duna pelos últimos doze anos e tive percepção de muitos mistérios que a alma do autor, Frank Herbert, codificou na obra. Meu próprio nome está lá, codificado.

O inicio do livro possui um enigma que sempre me chamou a atenção mas que sempre me escapou de penetrá-lo, até hoje. Eis o trecho:

"O começar é o momento mais delicado na correção do equilíbrio. Esta irmã Bene Gesserit bem o sabe. Por isso, ao começar a estudar a vida de Muad'Dib, teve o cuidado de situá-la em sua época: nascido no 57° ano do Imperador Padishah Shaddam IV, e com mais cuidado ainda localizou o Muad'Dib em sua terra: o planeta Arrakis. Mas que ninguém se iluda com o fato de ter ele nascido em Caladan e lá ter vivido seus primeiros quinze anos: Arrakis, o planeta conhecido como Duna, será para sempre a sua terra. — do Manual do Muad'Dib, escrito pela Princesa Irulan

Enquanto assistia a posse de Donald Trump pela televisão hoje, o segredo se abriu e se estampou diante da minha face.

Por muito tempo eu busquei a identidade do Muad'dib (o messias) e não conseguia encontrar. Eu o estava compreendendo errado. O Muad'Dib não é uma pessoa, mas a Consciência Messiânica.

Já publiquei extensamente que a Era messiânica foi inaugurada em 2013, quando o sifão que represava a fonte do despertar superior foi retirado pelo rei sagrado (a alma de Chizkyyahu melech yehudá).

Frank Herbert escreveu "nascido no 57º ano do Imperador Padishah" e aqui está o segredo. Enquando eu assistia a posse, a reporter mencionou que esta era a 58º Inauguração, como é chamado o dia da posse do presidente americano, e então, compreendi que, o 2º mandato do presidente Barack Obama foi o 57º ano (o termo ano vem do hebraico shaná e significa "mudança"). Os presidentes americanos são então chamados "Padishá".

Padishá é um título superlativo real de origem persa, composto pelo persa Pad "mestre" e  Xá "rei". Logo a Era messiânica, ou seja, o nascimento do Muad'Dib se deu no reinado do 57º Padishá, ou seja, Barack Obama cujo sobrenome significa "Ele, D'us, está conosco" que em hebraico é Emanuel (o nome do rei Ezequias)

Nós estamos agora no inicio da Era do messias, do Muad'Dib, no inicio da Era no qual todos seremos cristos, messias, reis. Bem-vindos ao Paraíso (o reino da consciência cristica). 

In English

Duna, President Obama and the Inauguration of the Messianic Age

I have been studying Dune for the last twelve years and have been aware of many mysteries that the author's soul, Frank Herbert, encoded in the work. My own name is there, coded.

The beginning of the book has an enigma that always caught my attention but that always escaped me from penetrating it until today. Here is the excerpt:

"The beginning is the most delicate moment in the correction of balance." This Bene Gesserit sister well knows, so when she began to study the life of Muad'Dib, she was careful to situate her in her day: born in the 57th Year of the Emperor Padishah Shaddam IV, and more carefully still located the Muad'Dib in his land: the planet Arrakis.but let no one be fooled by the fact that he was born in Caladan and lived there for his first fifteen years: Arrakis, The planet known as Dune, will forever be its land. - from the Manual of Muad'Dib, written by Princess Irulan

As I watched Donald Trump's inauguration on television today, the secret opened and stuck out in front of me.

For a long time I sought the identity of Muad'dib (the messiah) and could not find. I was misunderstanding him. Muad'Dib is not a person, but the Messianic Consciousness.

I have already published extensively that the Messianic Age was inaugurated in 2013, when the siphon that retained the source of the higher awakening was taken away by the sacred king (the soul of Chizkyyahu melech yehudá).

Frank Herbert wrote "born in the 57th year of Emperor Padishah" and here is the secret. While I was in office, the reporter mentioned that this was the 58th Inauguration, as it is called the day of the American president's inauguration, and then, I understood that, the second term of President Barack Obama was the 57th year. Hebrew Shanah and means "change"). The American presidents are then called "Padisha".

Padishá is a real superlative title of Persian origin, composed by the Persian Pad "master" and Shah "king". Soon the Messianic Era, that is, the birth of Muad'Dib occurred in the reign of the 57th Padishá, that is, Barack Obama whose surname means "He, Gd, is with us" which in Hebrew is Emanuel (the name of the king Hezekiah).

We are now at the beginning of the Messiah Age, Muad'Dib, at the beginning of the Age in which we will all be Christs, messiahs, kings. Welcome to Paradise (the realm of Christic consciousness). 


Autor
Deepak Sankara Veda​
Naib Of Hayk'la Arazuta
D'Madvra

Postagem em destaque

Reencarnação Através Do Beijo

Recebendo A Neshamá De Briá Experiência Pessoal (Artigo Em Construção) "Dá-me os teus lábios e eu te darei a minha alma (n...

Leia também...

O Artesão Da Luz

O Artesão Da Luz
Deepak Veda - Instrutor e compartilhador sobre a Sabedoria Espiritual. Sênior criptólogo especialista em Criptologia Divina. É escritor e autor de 14 obras, incluindo "Shem ha'Meforash - Os 72 Nomes De D'us" e "Guilgulim - O Portal Das Reencarnações".

Advertência

"Todas as palavras postadas aqui tem por finalidade a revelação dos mistérios das escrituras. Por mais duras que algumas vezes possam parecer, elas não tem finalidade de agredir, difamar, caluniar quaisquer pessoas, instituições, religiões ou quaisquer práticas religiosas e seus líderes. É certo que determinadas práticas e seus respectivos lideres precisam sim serem trazidos à luz, mas através da revelação da verdade"

Tradição

"Então, aqueles que são sábios brilharão como o esplendor (Zohar) do firmamento, e aqueles que retornaram à justiça para muitos, serão como as estrelas para sempre (Dani´El Péreq 12, 3º Passuq)".

Aviso

"A Hayk´la Arazuta não possui vínculos ou ligações com quaisquer endidades "judaicas" e nem mesmo com qualquer federação. A Hayk´la Arazuta não é siosnista e não crê no sionismo. Os rabinos da Hayk´la Arazuta não possuem ligação e nem seguem ou servem ao "judaísmo rabínico". A Hayk´la Arazuta avisa que qualquer um que proferir calúnias, difamações, ataques contra a honra da Comunidade, seus lideres e membros, ameaças de quaisquer tipo, os autores serão levados ao Judiciário através de processos cíveis e criminais. Copiar, distorcer e usar pejorativamente assuntos e experiências aqui publicadas, os autores serão processados. A Hayk´la Arazuta d´Madvra é um Orgão da Associação Cabalista Mundial - Gará Kulam Moshav, organização esta devidamente registrada junto ao Governo Federal Brazileiro de acordo com a Lei e possui CNPJ.".