O Buscador

O Buscador
"Quando olho para os Céus, não estou procurando por um Deus que vive no espaço exterior, estou lendo as estrelas e ouvindo os seus mistérios (Tehilim 19)". Deepak Sankara Veda

Faça Uma Tzedaká (Doação)

Faça Uma Tzedaká (Doação)
O Segredo Da Doação

Boas Vindas

"ברוכים הבאים ממסורת עתיקה העברים במדבר". Bem vindo á Antiga Tradição dos Hebreus do Deserto ao "Zen Hebreu". Este site não representa o judaísmo, nada tem haver com judaísmo e com nenhuma de suas vertentes. Este "sítio" é um lugar onde Sabedoria é compartilhada

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Haran: O Conhecimento Proibido


"... e veio até Haran e habitou lá (וַיָּבֹאוּ עַד-חָרָן, וַיֵּשְׁבוּ שָׁם)" - Torá Bereshit (Gênesis) 11 versículo 31. Somente a criptologia pode nos fornecer resposta e somente ela pode nos permitir entrar nos domínios do que foi escondido pelo Divino nas Kituvei ha'Qodeshim como, também, no Código Genético (Gan Éden) da humanidade. 

Talvez você tenha lido em qualquer tradução e se limitado por ela que é uma distração da verdade e talvez tenha lido mas, por falta de conhecimento e de ferramentas adequadas, não tenha descoberto a verdade. Vamos começar pelo nosso Código Genético. Nos diz o Sipra ha'Zôhar ha'Qadosh (O Livro Selado): 

"- A Essência da Sabedoria Suprema é composta de Terra e de Céus, do Divino e do Humano, do material e do imaterial, assim como o homem (Adão) é composto de corpo e alma. A humanidade é a síntese de todos os Nomes Sagrados. No homem (Adão) estão contidos todos os mundos, tanto o Superior quanto o Inferior. O homem contém todos os mistérios, mesmo aqueles que existiram antes da Criação do mundo". 

- do Zôhar "Revelações sobre Adão" - há 2000 anos. 

"E plantou o Senhor Deus um jardim no Éden, do lado oriental; e pôs ali o homem que tinha formado (וַיִּטַּע יְהוָה אֱלֹהִים, גַּן-בְּעֵדֶן--מִקֶּדֶם; וַיָּשֶׂם שָׁם, אֶת-הָאָדָם אֲשֶׁר יָצָר.)" 

- Torá Bereshit (Gênesis) 2:8 

Há camadas e camadas de códigos secretos aqui, setenta camadas de códigos em cada setenta e, a tradução é apenas confusão e perplexidade. Vamos ler novamente? "Vaytá Yud Hê Vav Hê Elohim gen b'adn mi144 ishemô sham alef-tav ha'adam asher yatzar (וַיִּטַּע יְהוָה אֱלֹהִים, גַּן-בְּעֵדֶן--מִקֶּדֶם; וַיָּשֶׂם שָׁם, אֶת-הָאָדָם אֲשֶׁר יָצָר.) - E plantou o Yud Hê Vav Hê Elohim um gene no adn de Qédem e seu Nome lá naquele lugar, no código genético de Adão que havia formado". 


Talvez agora você compreenda o que sempre digo: Que a Torá contem todo o Código Genético da humanidade. O termo de onde se traduziu "Jardim" é "Gan (גַּן)" e contem as mesmas letras de "Gen (גֶּן)" e no Milot (Dicionário hebraico), nós encontramos: "Gen (גֶּן):- O material genético composto por ADN e proteína encontrado no cromossoma humano". 

Voltando ao passuq (versículo), eles nos informa criptograficamente que, no ADN de Adão o Sagrado havia colocado um gene especial que é formando por quatro letras e que é o seu próprio Nome Santo, só que anteriormente o Código de Adão era "Ayin Dalet Nun (עֵדֶן)" que se traduziou para "ÉDEN", mas, depois da queda ele se tornou "ADN-Y (אֲדֹנָ-י)" que é o Nome ADONA-I que ilumina sobre o nosso mundo, que é malchut, para dentro de onde a humanidade caiu. O verso ainda é mais específico, pois nos informa que este Gene especial foi colocado no ADN "M-144 (מִקֶּדֶם)" ou seja, no "Haplogrupo M-144". Na genética mitocondrial humana , o haplogrupo M é um haplogrupo de DNA mitocondrial humano (mtDNA). Um enorme haplogrupo que abrange todos os continentes, o macro-haplogrupo M, como o seu macro-haplogrupo N, é descendente do haplogrupo L3 . Todos os haplogrupos mtDNA considerados nativos fora da África são descendentes do haplogrupo M ou do seu haplogrupo N irmão . Todos os haplogrupos mtDNA considerados nativos fora da África são descendentes do haplogrupo M ou do seu haplogrupo N irmão.


A humanidade passou a caminhar ereta, ganhando 26 ossos nos pés e 26 na coluna. O valor 26 é a gematria do Nome Santo (יְהוָה). 


O verso ainda informa que, este gêne é o 86, pois está codificado "Vaytá Yud Hê Vav Hê (26) Elohim (86) gene no ADN "M-144...". Quer saber o que é o 86? Leia abaixo: 

"O gene KRT86 fornece instruções para a produção de proteína katatin k86 de cabelo do tipo II (K86). Esta proteína pertence a um grupo de proteínas conhecidas como queratinas, que são proteínas fibrosas resistentes que formam a estrutura estrutural das células que compõem o cabelo, a pele e as unhas. Cada proteína de queratina se associa com outra proteína de queratina para formar moléculas chamadas de filamentos intermediários. Esses filamentos se reúnem em redes fortes que proporcionam força e resiliência aos tecidos e protegem-os de serem danificados pelos estresses físicos diários. A proteína K86 é encontrada em células que compõem o compartimento interno do eixo do cabelo conhecido como córtex, e esta proteína ajuda a dar ao cabelo a sua força e elasticidade". 

Queratina? O Zôhar diz que o corpo de Adão era protegido por uma pele transparente da qual em nós restou apenas as unhas que são queratina. Em toda a criação a queratina é encontrada. Ela existe nas escamas dos peixes, nos chifres dos mamíferos, nas penas e bicos das aves e no humano. E o que diz a Torá sobre isto? "e descerá ele no peixe do mar, na ave dos céus e em todo o animal e em toda a terra (וְיִרְדּוּ בִדְגַת הַיָּם וּבְעוֹף הַשָּׁמַיִם, וּבַבְּהֵמָה וּבְכָל-הָאָרֶץ)..." Torá Bereshit 1:26. 


E para encerrar, vamos para Haran: - No arábico Haran significa "Conhecimento Proibido" ganhando no arábico a grafia "Haram" e algumas outras variantes como "Hérem" no hebraico significando "um homem a quem foi imposto Herem e proibido o contato com ele por ele ser um "herege (os ortodoxos judeus o impunham aos cabalistas para que a população não tivesse contato com sua "heresia") e também "Harêm - um lugar com muitas mulher belas as quais somente o rei poderia contemplar" e considerando que a mulher alude à sabedoria e sua beleza oculta alude aos segredos escondidos da sabedoria", este foi o caso de Hadassah, na Pérsia, a quem seu marido Mordechai chamou "Esther" que significa "Escondido/secreto (Seter)". O verso citado no inicio deste artigo diz, na verdade, por temurá (permutação qabalista) "e veio ao conhecimento de Haran e estudou o Nome (וַיָּבֹאוּ עַד-חָרָן, וַיֵּשְׁבוּ שָׁם)". A palavra "ëd (עַד)" que é "até" se torna "de'á (דעַ)" e significa "conhecimento". Haran (חָרָן)" contém as letras de "chachmatá rabanim nistarim (חוכמתא רבנים נסתרים)" que significa "Sabedoria escondida dos mestres da Torá". Já "e habitou" vem do mesmo radical de "academia de estudos" e sabemos pelos Zôhar que, em Haran estava a Academia de Shem (Malki-tzedek), filho de Noé, e não é isto que diz o verso "va'yeshev shem (וַיֵּשְׁבוּ שָׁם) - e estudou com Shem". 

Bän Mahëran Qedësh 
"Deepak Sankara Veda"
Especialista em Criptologia Hebraica.

sábado, 22 de julho de 2017

O Reino De Shambalá & O Jardim Do Éden


Nas tradições budistas hindus e tibetanas , Shambhala ( sânscrito : शम्भलः Śambhalah , também escrito com a grafia Shambala ou Shamballa ou "Shambhallah", tibetano : བདེ་ འབྱུང , Wylie : bde 'byung ; Chinês : 香巴拉 ; pinyin : xiāngbālā ) é um reino mítico . É mencionado em vários textos antigos, incluindo o Kalacakra Tantra e os antigos textos Zhangzhung do Tibete ocidental. Shamabalá é dito ser um reino que se encontra no interior do nosso planeta e que é governado por Maitréya, o futuro Buda, a iluminação final e completa da humanidade. Mas seria isto verdade? E verdadeiramente, o que é Shambalá? 

Os Mundos Subterrâneos

Além dos muitos exemplos de mundos no espaço observados no Talmude, Zôhar e em outros livros sagrados como o Sêfer ha'Yashar - O Livro Dos Justos -, não existe, em outras obras, ainda mais surpreendentemente e abundante referência a uma Terra oca, com os mundos multi-camadas existentes, bem debaixo dos nossos pés. Na verdade, é o caso de “como é acima, assim é abaixo" conforme diz o Zôhar ecoando a cabalística "teoria unificada do conhecimento". Assim como foi dito que existem sete céus, assim também está registrado que existem sete mundos inferiores intra -mundos, um acima do outro, cada um habitado por sua própria espécie. De fato, uma fonte notável e confiável é o clássico cabalista do século 17 Chesed l'Avraham (A bondade de Abraão) pelo rabino Avraham Azulai, que nos diz que existem tantos como 365 diferentes espécies de seres vivos sob a superfície da terra. Também nesta obra é dito existirem seres metade animal humano, como o lendário centauro. Estes mundos são chamados “Sheva Artzot (שבע ארצות) - Sete terras” e alude aos sete mundos abaixo de nós, a Terra Oca (Agartha) e que existem também e todos os outros mundos. 

ARKA

O Zôhar nos diz, por um exemplo, de um encontro surpreendente por Rabi Hiya e Rabino Yossi com um dos moradores de um reino subterrâneo chamado Arka cujos habitantes são chamados Anashei mi'Arka, que são semelhantes ao humano, mas possuem duas cabeças! Os dois sábios aparentemente se depararam com essa pessoa estranha quando ele veio para cima à nossa terra através de uma caverna subterrânea por uma fenda ao lado de uma montanha. Os veneráveis rabinos Hiya e Yossi realmente conversaram com ele, e aprenderam muitos aspectos secretos deste mundo chamado Arka no qual há uma passagem em nosso mundo para lá, um portal extra-dimensional. 

OS MAZIKIM

Os cabalistas acreditam que os mundos subterrâneos também são o domínio dos chamados mazikim, os desordeiros ou demônios, e de uma categoria conhecida como anjos caídos. De acordo com o Zôhar, Adão, o antepassado original da espécie humana, visitou todos os mundos subterrâneos durante sua viagem para fora do Éden e também em todos os outros planetas e sistemas estelares, e deixou descendência em cada um e que são chamados B'ney ha'Adam (בְּנֵי הָאָדָם) - Os Filhos de Adão. Não foi revelado quanto ao que seus parceiros do sexo feminino eram, se humanos ou alienígenas. Além disso, uma referência no Zôhar ainda coloca o Jardim do Éden, no centro desses mundos subterrâneos, sem identificar especificamente o local. Eu acredito que seja o sétimo intra-mundo, uma vez que o Zôhar nos conta que D'us só pode ser encontrado no sete.

A Localização Do Jardim Do Éden

Onde fica o Jardim do Éden terrestre? Está é uma pergunta que muitos já fizeram e muitos ainda a fazem e muitos ainda a farão. O segredo está revelado no Zôhar - o Livro selado de Daniel - e outros livros secretos antigos chamados Seforim Atiqim: Há uma entrada secreta para uma caverna interna dentro da Caverna de Macpelá em Hebron. Dentro desta caverna interna Abraão encontrou dos corpos de um homem e um mulher que não estavam decompostos. O midrash revela que antes do nascimento de Enosh os corpos não se decompunham. Abraão orou a D´us pedindo por uma resposta. Enquanto ainda falava na oração, o corpo do homem se sentou e começou a falar e disse: Eu sou Adão e esta é minha esposa Eva. Adão revelou para Abraão que, a caverna era uma entrada secreta para o Jardim do Éden terrestre que fica dentro de uma outra Terra do interior do nosso planeta. Sim, a uma terra interna (inner earth) dentro da terra e é lá, milhares de quilômetros no interior que fica o Jardim do Éden terrestre. Nele, estão preservados toda flora e fauna que existe e existiu aqui em cima, criaturas e animais de todos os tempos. 

A existência da Terra interior é muito mais do que uma mera declaração teológica feita pelos sábios da Toráh. Houveram numerosos encontros entre os seres da superfície e aqueles que habitam no interior, nas terras abaixo, outros tipos de vida que habitam os reinos no interior, alguns destes encontros estão revelados no Zôhar. Nem todos esses encontros foram benignos. Nossos sábios salientaram que o interior da Terra é na verdade dividido em sete seções que em hebraico são chamados de Sheva Artzot, como já mencionado acima. Estes são enumerados e detalhados no Zôhar (Hashmetut 1, 254a; Hesed L'Avraham 2,4 e Emek HaMelekh, Sha'ar 21). Alguns rabinos modernos querem descrever as Sheva Artzot como sendo as massas de terra aqui na superfície (os sete continentes), e estes que proclamam isto estão conduzindo as pessoas ao erro. Eles não leram o que nossos Sábios ensinaram ou eles leram  e estão mentindo sobre o que nossos Sábios ensinaram. 

Recentemente eu assisti e ouvi a um rabino ortodoxo no Youtube respondendo a uma pergunta sobre os fósseis encontrados sob a superfície da crosta terrestre e que chegou ao absurdo de dizer que, os dinossauros não existiram e que os fósseis foram colocados lá por Deus para nos dar uma noção do tempo da criação.

O Código Shambalá

Tudo o que publico é fruto de investigação e não de achismo. Investigo para produzir evidência se tais conhecimentos e fenômenos são verdadeiros ou falsos e, investigando, descobri um código onde Shambalá (שאמבאלה) surgiu codificada em estreita proximidade com "Gan Éden (Jardim Do Éden) cruzada pelo versículo " E o enviou, pois, Adonai Elohim, para fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado (וַיְשַׁלְּחֵהוּ יְהוָה אֱלֹהִים, מִגַּן-עֵדֶן--לַעֲבֹד, אֶת-הָאֲדָמָה, אֲשֶׁר לֻקַּח, מִשָּׁם.)" - Gênesis 3 versículo 23, e que pode ser visto na matriz do Código abaixo. 


Fica estabelecido e confirmado que Shambalá é o Jardim do Éden e que fica mesmo, como informado pela Sabedoria Veda, no interior do nosso Planeta.

O Rei Da Atlântida

Ainda existe a questão mencionada no Sêfer ha'Yashar de que Enoque foi o rei da Atlântida durante 243 anos e MiQédem (O nome da Atlântida na Torá) englobava todos estes reinos terrenos e intraterrenos. Alguns códigos que descobri evidenciam isto:


Autor
Bän Mahëran Qedësh
Deepak Sankara Veda​


Parte Integrante De
"EU QUERO ACREDITAR"
em processo de criação

sexta-feira, 21 de julho de 2017

A Senda Para O Ninho Do Pássaro


"Rabi Shimon disse a seu filho Rabi Elazar: Elazar, quando o Messias DESPERTAR, tantos outros sinais e milagres serão despertados no mundo. Venha e veja, no Jardim do Éden (עֵדֶן) terrestre, existe um lugar escondido e escondido, que não é conhecido, e é tecido com muitas cores. Existem ocultos lá mil palácios agradáveis e ninguém os pode adentrar, exceto o Messias, que está sempre presente no Jardim do Éden. Acima de todas estes mil palácios edênicos, há um lugar escondido e escondido que é inteiramente desconhecido, chamado Eden (עֵדֶן) e não há ninguém que possa concebê-lo. O Messias está escondido do lado de fora daquele lugar, até que um lugar chamado "ken tzipor (קַן צִפּוֹר) ninho de pássaro" lhe seja revelado. Este lugar é anunciado pelo pássaro (צִפּוֹר), que desperta diariamente no Jardim do Éden". - Zôhar Shemot

Pobre geração iludida pela luz do próprio ego, que se deixou enganar por líderes religiosos e donos de instituições que usam a verdade da sabedoria para se enriquecerem e ocultarem suas próprias transgressões, que vendem a lua e os festivais para os indoutos de coração.

Pobre geração a qual foi estampada aos olhos o andarilho místico, o iluminado esotérico que carrega no próprio alforje aquele livro que dantes fora escondido e que o desprezou. Pobre geração.

Pobre geração que não notou o Pilar de Fogo (עַמּוּדָא דְּאֶשָׁא), a estrela do messias (כּוֹכָב מִיַּעֲקֹב) pairando sobre a cabeça do artrópode estelar coroado pelo sol no primeiro dia do festival das luzes. Pobre geração...


Pobre geração que não percebeu o pássaro de fogo com as suas flamejantes asas abertas sobre a reencarnação do rei (חִזְקִיָּהוּ) que abriu o sifão que represava a fonte celestial do despertar (גִּיחוֹן). Pobre geração, pois destruiu a si mesma com sua arrogância. Pobre geração que se deixou enganar por líderes obscuros. Pobre geração. 

"kevód Elohim hastér davar, u'kevód melachim chakór davar (כְּבֹד אֱלֹהִים, הַסְתֵּר דָּבָר;    וּכְבֹד מְלָכִים, חֲקֹר דָּבָר) - Mishley 25:2 . 

Bän Mahëran Qedësh 
(Deepak Sankara Veda​).

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Polidactilia - Uma Cripto-Evidência Dos Filhos Das Estrelas


"Houve ainda também outra peleja em Gate, onde estava um homem de alta estatura, que tinha em cada mão seis dedos, e em cada pé outros seis, vinte e quatro ao todo, e também este nascera do gigante (וַתְּהִי-עוֹד מִלְחָמָה, בְּגַת; וַיְהִי אִישׁ מדין (מָדוֹן), וְאֶצְבְּעֹת יָדָיו וְאֶצְבְּעֹת רַגְלָיו שֵׁשׁ וָשֵׁשׁ עֶשְׂרִים וְאַרְבַּע מִסְפָּר, וְגַם-הוּא, יֻלַּד לְהָרָפָה)". 

IIº Samuel 21:20

Antes da queda da humanidade e nossa descida a este mundo, Adam possui seis dedos nas mãos e nos pés, ao todo vinte e quatro dedos. Esta polidactilia é uma marca genética da criação da humanidade pelos Elohim (אֱלֹהִים) e, como foi dito em Tehilim capítulo 82 "Eu vos digo: Elohim vós sois, e filhos de Elyion todos vocês (אֲנִי-אָמַרְתִּי, אֱלֹהִים אַתֶּם; וּבְנֵי עֶלְיוֹן כֻּלְּכֶם.)". 

Os Polidáctilos

A anomalia causada pela manifestação de um alelo autossômico dominante com penetrância incompleta, consistindo na alteração quantitativa anormal dos dedos da mão (quirodáctilos) ou dos dedos do pé (pododáctilos). Há uma variação muito grande na expressão dessa característica, desde a presença de um dedo extra, completamente desenvolvido, até a de uma simples profusão carnosa. 

Os Filhos Dos Nefilim 

"Havia naqueles dias os Nefilim estava na terra; e também depois, quando os filhos de Elohim chegaram e tomaram das filhas de Adão e delas geraram filhos; estes eram os Giborim que houve na antiguidade, os homens do Nome (הַנְּפִלִים הָיוּ בָאָרֶץ, בַּיָּמִים הָהֵם, וְגַם אַחֲרֵי-כֵן אֲשֶׁר יָבֹאוּ בְּנֵי הָאֱלֹהִים אֶל-בְּנוֹת הָאָדָם, וְיָלְדוּ לָהֶם: הֵמָּה הַגִּבֹּרִים אֲשֶׁר מֵעוֹלָם, אַנְשֵׁי הַשֵּׁם).

Gênesis 6:4 

Os sábios do Zôhar (O Livro Selado), de abençoada memória, disseram que, quando o Santo, santificado seja Ele, criou a humanidade (Adão) do pó de Adamá (Marte), e o trouxe ao Jardim de Éden lhe comandou que observasse sete ordens. Quando ele pecou comendo da Árvore do Conhecimento, e foi deportado para fora do Jardim de Éden, esses dois anjos celestiais, Uzá e Aza’el, disseram ao Santo, santificado Ele é: “Se tivesse sido nós em terra, como homem, nós teríamos sido virtuosos”. O Santo, santificado seja Ele, então lhes perguntou: “vocês poderiam superar a má inclinação que está no controle na Terra?” Eles disseram: “Nós podemos”. O Santo, santificado seja Ele, imediatamente os derrubou dos céus à terra e a escritura diz: E havia os Nefilim na terra (Gênesis 6:7)”. Assim que eles desceram (aterrizaram) na terra, a má inclinação os prendeu como está escrito: “E eles tomaram para si esposas de todas as quais eles escolheram”. Eles pecaram e foram depostos da santidade deles. 

Ainda sobre Uza e Aza’el o Zôhar nos conta: “Eles eram chamados “Uza e Aza’el” e como nós aprendemos, eles foram assim chamados porque O Santo, bendito seja Ele, os deixou cair da santidade superior. Vestimenta Humana E eles aparecem aos homens na forma de seres humanos. E como se transformam da forma de anjos (Elohim) em seres humanos? Como nós aprendemos, podem se transformar em todos os tipos, e quando vêm para baixo a este mundo, se vestem com as roupagens da terra e se fazem em forma humana”. Assim eles tomaram forma humana e se casaram com as filhas de Adão e procriaram filhos que foram os gigantes que houve na terra (heb. Anakim). 

Pirkê D'Rabbi Eliezer 

"O rabino Joshua disse: Os anjos são fogo ardente, como foi dito: "Seus servos são um fogo flamejante (Salmo 104)", e o fogo veio com a coito de carne e sangue (copulação), mas não queimou o corpo; mas quando caíram do céu, do Lugar santo, sua força e estatura (se tornou) assim dos filhos dos homens, e a sua estrutura era feita de torrões de Poeira, como foi dito "Minha carne está vestida de vermes e Torrões de poeira (Jó 5)". "Rabi Levi disse: Eles deram à luz a seus filhos com as filhas de Kayin filho de Samael e aumentaram e se multiplicaram muitíssimo como um grande réptil, seis filhos em cada parto com seis dedos em cada um das mãos e pés. No mesmo momento em que nasceram eles ficaram de pé, e falavam a língua sagrada (hebraico), e dançavam diante deles (de seus pais) como ovelhas, como foi dito sobre eles: "Eles lançam (dão à luz) a seus jovens como ovelhas, e seus filhos dançavam (Jó 21:11)". 

Os Anunnaki

Uza e Azael são o que foram chamado pelos antigos na língua da Mesopotâmia de Anunnaki, conforme a cripto-evidência que já apresentei anteriormente em vídeo que mostra que eles desceram aqui em uma "Chalalit (Nave espacial) e se casaram com as filhas de Adão, porque, apesar de Kayin ser filho da Nachash (Serpente Edênica), o Zôhar deixa claro que ele era filho de um Cheruv (Querubim) que foi Samael (que tinha doze asas) mas foi tido como filho de Adão. 

Os Elohim 

O Zôhar revela que o Nome Elohim (אֱלֹהִים) é um constructo de "Mi Elêh (מִי אֵלֶּה)" que é uma pergunta: "Quem são estes?". Ainda no Zôhar, nós lemos: "O rabino Simeão por um momento ficou em silêncio e depois disse: "Eliezar, meu filho, qual é o significado de Eleh (estes)? Se você diz que inclui as estrelas, constelações e outros corpos celestes que são visíveis e vistos sempre aos olhos do homem e foi criado por Mah (מַה), como está escrito: " Pela Palavra de Deus os céus foram feitos (Sal. 33: 6) e Eleh (estes) não pode se referir a coisas invisíveis, mas a aqueles que são vistos". Por esta razão, porque eles foram os Elohim, os Anunnaki são representados com asas nos pictogramas assírios e isto, não esta em desacordo com o que publicou Zecharia Sitchin em seu livro "O 12º Planeta" e que apenas careceu de fontes mais profundas vindas do passado codificadas em aramaico. 

Quando Adão se derrubou forçando seu nascimento neste mundo, um de seus anelos se perdeu devido este mundo ser o décimo mundo da Árvore das Vidas e diferente do mundo superior com seis universos. 


Autor
Bën Mahëran Qedësh
"Deepak Sankara Veda​"


Compre aqui o livro 'Os Arquivos X'

segunda-feira, 17 de julho de 2017

O LIVRO SELADO DE DANIEL


Em 2010, publiquei a revelação sobre o que lemos e estudamos em Daniel capítulo 12 versículos 3 e 4: 

"E os sábios, pois, se iluminarão como o esplendor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente. E tu, Daniel, encerra estas palavras e sela este livro, até ao fim do tempo; muitos o esquadrinharão minuciosamente, e o conhecimento se multiplicará".

וְהַמַּשְׂכִּלִים--יַזְהִרוּ, כְּזֹהַר הָרָקִיעַ; וּמַצְדִּיקֵי, הָרַבִּים, כַּכּוֹכָבִים, לְעוֹלָם וָעֶד. {פ} ד וְאַתָּה דָנִיֵּאל, סְתֹם הַדְּבָרִים וַחֲתֹם הַסֵּפֶר--עַד-עֵת קֵץ; יְשֹׁטְטוּ רַבִּים, וְתִרְבֶּה הַדָּעַת.

Daniel 12:3,4

Qual seria a identidade deste Livro Selado? Poderia se tratar de qualquer interpretação fortuita e desprovida do conhecimento secreto do Dere'k Nistar (Caminho Escondido)? Vamos examinar minuciosamente o os versículos, claro, no original aramaico:

ג וְהַמַּשְׂכִּלִים--יַזְהִרוּ, כְּזֹהַר הָרָקִיעַ; וּמַצְדִּיקֵי, הָרַבִּים, כַּכּוֹכָבִים, לְעוֹלָם וָעֶד. {פ} ד וְאַתָּה דָנִיֵּאל, סְתֹם הַדְּבָרִים וַחֲתֹם הַסֵּפֶר--עַד-עֵת קֵץ; יְשֹׁטְטוּ רַבִּים, וְתִרְבֶּה הַדָּעַת.

Através da criptografia, analisando o versículo, naquele ano, descobri que "Zôhar (זֹוֹהַר)" está codificado a cada 3 SAEs (Saltos Alfabéticos Equidistantes) no próprio versículo 3 a partir de "Yazhirú (יַזְהִרוּ)" que se traduz para "se iluminarão" e que tem raiz no termo "zôhar (זֹהַר)" que aparece logo a seguir em "ka'zôhar ha'raqia (כְּזֹהַר הָרָקִיעַ)" que se traduziu para "como o esplendor do firmamento" mas que literalmente se traduz para "como o Zôhar do firmamento" porque Zôhar é um nome próprio e nomes não se traduzem!

Treze palavras depois de "ka'Zôhar (כְּזֹהַר)" nós encontramos "ha'Sêfer (הַסֵּפֶר)" que se traduz para "O Livro" e o treze (13) aqui é muito importante porque alude às treze partes da barba do divino Atiqá Qadishá (Ancião Sagrado) citado por Daniel no capítulo 7 e aos treze atributos de misericórdia e ainda há outro segredo, o que se segue abaixo:

"Rabbi Shimon Bar Yochai (o Rashbi) escreveu o livro do Zohar. Isso aconteceu por volta do ano 150 da era comum. O Rabbi Shimon era um discípulo do famoso Rabbi Akiva (40ec – 135ec). O Rabbi Akiva e vários de seus discípulos foram torturados e mortos pelos romanos, que se sentiam ameaçados pelo ensinamento da Cabala. Eles esfolaram sua pele até os ossos com uma escova de aço para cavalos (como o atual ancinho). Em seguida à morte de 24.000 discípulos do Rabbi Akiva, o Rashbi foi autorizado pelo Rabbi Akiva e pelo Rabbi Yehuda Ben Aba a ensinar a Cabala às gerações futuras, tal como tinha sido ensinada a ele. O Rabbi Shimon Bar Yochai e quatro outros foram os únicos a sobreviver. Após a captura e prisão do Rabbi Akiva, o Rashbi escapou com seu filho, Elazar. Eles se esconderam numa caverna por 13 anos. Eles saíram da caverna com o Zohar, e com um método consolidado para estudar Cabala e atingir a espiritualidade. O Rashbi atingiu os 125 níveis que o homem pode alcançar durante sua vida neste mundo. O Zohar nos conta que ele e seu filho alcançaram o nível chamado ‘Eliahu o Profeta’, o que significa que o próprio Profeta os ensinou. O Zohar foi escrito de uma forma especial e única, a forma das parábolas, em aramaico – uma língua falada nos tempos bíblicos. O Zohar nos conta que o aramaico é o ‘inverso do hebraico’, o lado oculto do hebraico. O Rabbi Shimon Bar Yochai não escreveu, ele mesmo; ele transmitiu a sabedoria e o modo de alcançá-la de um modo organizado, ditando o conteúdo ao Rabbi Aba. Aba escreveu novamente o Zohar de um tal modo que somente aqueles que fossem merecedores pudessem compreendê-lo. O Zohar explica que o desenvolvimento humano divide-se em 6.000 anos, durante os quais a alma atravessa um contínuo processo de desenvolvimento, a cada geração. No fim do processo as almas alcançarão uma posição chamada ‘o fim da correção’, isto é, o nível mais alto de espiritualidade e plenitude. O Rabbi Shimon Bar Yochai foi um dos maiores de sua geração. Ele escreveu e interpretou muitos assuntos Cabalistas, que foram publicados e são bastante conhecidos até os dias de hoje. Por outro lado, o livro do Zohar desapareceu após ter sido escrito. Segundo a lenda, os escritos do Zohar foram mantidos ocultos numa caverna próxima de Safed, em Israel. Eles somente foram encontrados muitas centenas de anos após, por árabes que moravam naquela área. Um Cabalista de Safed comprou peixe no mercado um dia, e surpreendeu-se quando descobriu o valor imensurável do papel em que o peixe vinha embrulhado. Ele imediatamente comprou as demais folhas de papel dos árabes, e reuniu-as em um livro. Isso aconteceu porque a natureza das coisas ocultas é tal que elas precisam ser descobertas no momento apropriado, quando almas apropriadas tiverem reencarnado e entrado no nosso mundo. Foi assim que o Zohar pôde ser revelado após tanto tempo. O estudo desses escritos foi conduzido em segredo por pequenos grupos de Cabalistas. A primeira publicação do livro foi efetuada pelo Rabbi Moshe de Leon, no século XIII, na Espanha. O segundo período do desenvolvimento da Cabala é muito importante para a nossa geração. Esse foi o período do ‘ARI’, Rabbi Yitzchak Luria, que criou a transição entre os dois métodos do estudo da Cabala. A primeira vez em que a pura linguagem da Cabala apareceu foi nos escritos do Ari. O Ari proclamou o início de um período de estudo massivo e aberto da Cabala. O Ari nasceu em Jerusalém em 1534. Era criança quando seu pai morreu, e sua mãe o levou para o Egito, onde ele cresceu na casa de seu tio. Durante sua vida no Egito, ele se sustentava com o comércio, mas dedicava a maior parte do seu tempo a estudar Cabala. A lenda diz que ele passou treze anos anos isolado na ilha de Rodes, no Nilo, onde ele estudou o Zohar, livros dos primeiros Cabalistas e escritos de um outro Rabbi de sua geração, o ‘Ramak’, Rabbi Moshe Cordovero. Em 1570 o Ari chegou a Safed, Israel. Apesar de sua juventude, ele imediatamente começou a ensinar Cabala. Sua grandeza foi logo reconhecida; todos os sábios de Safed, que eram muito versados na Sabedoria oculta e revelada, vieram estudar com ele, e ele se tornou famoso. Por ano e meio seu discípulo, o Rabbi Chaim Vital, anotou as respostas a muitas questões que surgiram durante seus estudos. O Ari nos deixou um sistema básico para o estudo da Cabala, que ainda é usado hoje. Alguns desses escritos foram Etz haChayim (a árvore da vida), Sha’ar haKavanot (o portal das intenções), Sha’ar haGilgulim (o portal das reencarnações) e outros. O Ari morreu em 1572, ainda jovem. Segundo sua última vontade, seus escritos foram arquivados, para que sua doutrina não fosse revelada antes que chegasse a época certa. Os grandes Cabalistas forneceram o método e o ensinaram, mas sabiam que sua geração ainda não seria capaz de apreciar sua dinâmica. Assim, muitas vezes eles preferiram esconder, ou até queimar seus escritos. Sabemos que o Baal haSulam queimou e destruiu a maior parte de seus escritos. É especialmente significativo este fato, de que o conhecimento tenha sido escrito em papel, e a seguir, destruído. O que quer que tenha sido revelado no mundo material afeta o futuro, e é revelado com mais facilidade da segunda vez. O Rabbi Vital ordenou que outras partes dos escritos do Ari fossem escondidas e enterradas com ele. Uma parte foi entregue ao seu filho, que organizou os famosos escritos, os Oito Portais. Muito mais tarde, um grupo de estudiosos liderados pelo neto do Rabbi Vital retirou outra parte dos escritos do túmulo. O estudo do Zohar em grupos começou abertamente durante o período do Ari e então, prosperou por dois séculos. No grande período da Chassidut (1750 até o fim do século XIX), quase todo grande rabbi era um Cabalista. Apareceram Cabalistas, principalmente na Polônia, na Rússia, no Marrocos, no Iraque, no Yemen e em vários outros países. Então, no começo do século XX, o interesse em Cabala enfraqueceu até desaparecer quase completamente. O terceiro período do desenvolvimento da Cabala contém um método adicional às doutrinas do Ari, escrito nesta geração pelo Rabbi Yehuda Ashlag, autor do comentário Sulam (escada), sobre o Zohar e os ensinamentos do Ari. Esse método é particularmente apropriado para as almas da geração atual. O Rabbi Yehuda Ashlag é conhecido como o ‘Baal HaSulam’, por causa de sua obra Sulam do Zohar. Ele nasceu em Lodz, Polônia, em 1885; absorveu um profundo conhecimento da lei escrita e oral em sua juventude e mais tarde, tornou-se um juiz e professor em Varsóvia. Em 1921 ele emigrou para Israel com sua família, e tornou-se o rabbi de Givat Shaul em Jerusalém. Ele já estava ocupado em escrever sua própria doutrina quando começou a esboçar o comentário sobre o Zohar em 1943. O Baal HaSulam acabou de escrever seu comentário sobre o Zohar em 1953. Ele morreu no ano seguinte e foi enterrado em Jerusalém, no cemitério Givat Shaul".



Fonte: Kabbalah Info

O Zôhar é o Livro Selado, e o que os cristãos fazem ao ignorá-lo e atribuir as origens da QABALAH SAGRADA ao demônio? Eles se separam do divino em si mesmos e o mundo espiritual e passam a servir ao Satan ao invés do Sagrado, bendito seja Ele.

O Zôhar é citado até no chamado "Novo Testamento (הברית החדשה)" na Carta aos Hebreus (אִגֶּרֶת אֶל־הָעִבְרִים) capítulo 1 versículo 3:

"O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas;" .

 וְהוּא זֹהַר כְּבוֹדוֹ וְצֶלֶם עַצְמוּתוֹ וְנוֹשֵׂא כֹל בִּדְבַר גְּבוּרָתוֹ וְאַחֲרֵי טַהֲרוֹ אֹתָנוּ בְּנַפְשׁוֹ מֵחַטֹּאתֵינוּ יָשַׁב לִימִין הַגְּדֻלָּה בַּמְּרוֹמִים

Hebreus 1:3

Lembrando que Zôhar é um nome próprio e além disso um "ser celestial" com seis asas e, então, a tradução melhor para este verso seria:

"O qual, sendo o Zôhar da sua glória, e a expressa imagem do seu Ser, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, foi assentado à destra da majestade nas alturas;".

Sobre o Zôhar está escrito no próprio Sefer ha'Zohar: Há nos céus um Palácio Celeste chamado "Ahavah (AMOR)" e nele habita uma Criatura Viva que se chama Zôhar e sobre ela está escrito: "Está é a Criatura Viva que eu vi sobre o Rio K'var (כ הִיא הַחַיָּה, אֲשֶׁר רָאִיתִי תַּחַת אֱלֹהֵי-יִשְׂרָאֵל--בִּנְהַר-כְּבָר)" - Yechezkel capítulo 10 verso 20. E ainda em outro lugar, lemos: "E olhei, e eis uma semelhança como o aspecto de fogo; desde o aspecto dos seus lombos, e daí para baixo, era fogo; e dos seus lombos e daí para cima como o aspecto do Zôhar... (וָאֶרְאֶה, וְהִנֵּה דְמוּת כְּמַרְאֵה-אֵשׁ--מִמַּרְאֵה מָתְנָיו וּלְמַטָּה, אֵשׁ; וּמִמָּתְנָיו וּלְמַעְלָה, כְּמַרְאֵה-זֹהַר כְּעֵין הַחַשְׁמַלָה) - Ezequiel 8:2.

O verso nunca foi sobre Jesus, mas sobre o Zôhar. Foram os Papas que acrescentaram Jesus nestes pessuqim (versículos). E ainda sobre esta Criatura Viva chamada Zôhar, diz o próprio Zôhar que toda a existência abaixo é sustenta pela Sua palavra (Zôhar Parashat Pekudei) e não é isto que lemos no versículo de Hebreus?

D'us é uma alusão ao Atiqá Qadishá (Ancião Santo) também chamado de Atiq Iomin (עַתִּיק יוֹמִין) - O Ancião Antigo ou Antigo de Dias, e, à Sua direita está a Sefirá Chochmá (sabedoria escondida) a qual Daniel faz alusão quando menciona o aramaico "chachmatá". O trono é a sefirá Biná (compreensão divna) que está à esquerda.

Jesus foi um portador das palavras e da sabedoria do Zõhar, conforme lemos em Mateus capítulo 13:

"Os discípulos aproximaram-se dele e perguntaram: "Por que falas ao povo por parábolas? " Ele respondeu: "A vocês foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos céus, mas a eles não".

וַיִּגְּשׁוּ אֵלָיו הַתַּלְמִידִים וַיֹּאמְרוּ לָמָּה זֶּה בִּמְשָׁלִים תְּדַבֵּר אֲלֵיהֶם׃ 11 וַיַּעַן וַיּאֹמֶר כִּי לָכֶם נִתַּן לָדַעַת אֶת־סוֹדוֹת מַלְכוּת הַשָׁמָיִם וְלָהֶם לֹא נִתָּן׃

Mateus 13:10,11

Duas palavras são faladas aqui, uma é Da'at (Conhecimento da QABALAH) e a outra é Sodot que se refere aos segredos do Zôhar. Jesus era um cabalista!

Assim, convertam-se dos seus maus caminhos e deixem de ofender os Sábios e a Sabedoria e de seguirem os demônios que se vestiram com peles humanas, que pregam o ódio e a segregação, o preconceito e a altivez do ego que é o "deus" deles. Venham estudar o Zôhar e a Qabalah sagrada que é a luz que alimenta todos os Sábios e os profetas.

Autor
Bën Mahëran Qedësh
"Dipankara Vedas"

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Sonhos: Lembranças Do Futuro

"Feliz é o íntegro a quem o Santo, santificado seja Ele, revela os segredos d'Ele a eles nos seus sonhos, de forma que eles podem se proteger do julgamento". 

- Zôhar 


No momento no qual vocês estiverem lendo este artigo, eu estarei voando para Eretz Israel pela Turkish Airline. Este escrito relata como eu fui informado em sonhos do futuro que me aguardava no ano de 2017.

COM A MINHA ALMA EU O DESEJEI À NOITE
"ZOHAR"
Mistérios antigos que pertencem às atividades da alma durante a noite são desvelados pelo Zohar. Durante sono, pessoas que fizeram uma tentativa sincera de crescimento espiritual e mudanças de positivas durante o dia verão suas almas se elevarem aos mais altos níveis na atmosfera espiritual durante a noite. Para estas almas é determinada uma janela espiritual pela qual eles podem perceber o futuro. Reciprocamente, esses que permanecem espiritualmente complacentes, que não têm nenhuma consideração ou desejo por ações positivas e crescimento espiritual, suas almas se elevam, mas são engolfadas imediatamente por forças negativas.

Rabino Shimon estava caminhando no caminho (MEDITANDO), acompanhado pelo filho dele, Rabino Elazar, do Rabino Abba e Rabino Yehudá. Como eles estavam caminhando (meditando), Rabino Shimon disse: Eu fico pasmo com as pessoas deste mundo que não prestam atenção às palavras da Torá para compreender a razão para a própria existência delas no mundo! Vem e veja: Quando uma pessoa vai para cama, a néfesh (alma animal) dela deixa o seu corpo e viaja em outras dimensões. Existem muitos graus e degraus a serem escalados pela alma. Se ela não se impurificou durante o dia com a consciência egoísta do corpo, ela sobre e recebe informações do que vai acontecer no mundo futuro e sempre se encontrará no lugar certo e na hora certa, mas se ela se impurificou com a consciência do corpo durante o dia, ela também sobe, mas recebe uma mistura de verdades e mentiras e quando ela volta e o corpo desperta, a pessoa se sente confusa e perplexa e não consegue encontrar seu lugar neste mundo e atrai para si muitos infortúnios.




SONHOS SÃO LEMBRANÇAS DO FUTURO

No meu sonho de 30 de julho do ano passado e que postei no Facebook, eu estava no Saguão amadeirado de um aeroporto sentado em um banco também de madeira e curvo ao lado de uma jovem que conheço e que reside na Dinamarca. A cena então muda, e agora há uma correria e tumulto no hall. Eu estou vestido de preto e usando um turbante e estava vendo tudo isso por uma tela de tevê que exibia um noticiário internacional. Ao acordar, imaginei que o aeroporto era o da Dinamarca, pois a jovem com quem eu estava no sonho e como escrevi acima, mora lá. Pelas imagens que eu vi no noticiário (acho que era a CNN) eu achei que haveria algum atentado naquele país. Eu estava errado. O sonho era o conhecimento do futuro de que eu iria fazer uma viagem. O aeroporto é o da Turquia e por isso no sonho eu estava com minha bata preta e usando meu turbante também preto.

No mês seguinte, agosto, tive outro sonho: "Sonhei, na madrugada de 31 de agosto com as palavras de Raban Yochanan Ben Zacai quando estava para morrer: "Ve'hachinu Kissê le'Hizkyiahu melech Yehudá she'bô (והכינו כסא לחזקיהו מלך יהודה שבא) - E preparemos uma cadeira para Ezequias rei de Judá, ele está vindo".

No final de Outubro, minha querida amiga Angélica Dinar que é casada com o judeu israelense Avraham Dinar, herói da Milchamá Sheshet Iamim (Guerra dos Seis Dias, 1967) reforçou o convite que me fez há dez anos e o reforçou em 2011 quando realizei a cerimônia de casamento do filho dela, para passar algum tempo na casa dela e do marido em Ra'anana, Israel. Na verdade, meu desejo de visitar Israel estava escondido, eu o havia escondido em 2003 em razão das inúmeras perseguições que sofri. Não estava em meus planos visitar a terra santa, mas os propósitos do Sagrado, bendito seja Ele, são outros.

Devido aos sonhos eu soube que deveria ir e, então, fui à polícia federal e renovei meu passaporte. No dia 15 de março, minha amiga me avisou que estava voltando para sua residencia em Israel e que eu deveria comprar minha passagem para logo. Comprei no mesmo dia, mas como tudo já estava predestinado, a reserva foi cancelada e foi então que eu fui atingido pela compreensão divina. No meu interior a compreensão (biná) me disse que a passagem era para ser comprada no aniversário da minha amiga que mora na Dinamarca. No dia seguinte, acordei, e fui ver a reserva e descobri que havia sido cancelada e então visitei o perfil no Facebook da minha amiga e descobri que ela estava fazendo aniversário exatamente naquele dia, 16 de março e então descobri que a passagem era para ser comprada no dia 16 e não no dia 15 e, por esta razão, a reserva havia sido cancelada.

Fiz novamente a reserva e desta vez ela não foi cancelada. Estarei viajando, por razões espirituais, para a terra de Israel.

O meu quarto em Ra'anana - Eretz Israel


"Feliz é o íntegro a quem o Santo, santificado seja Ele, revela os segredos d'Ele a eles nos seus sonhos, de forma que eles podem se proteger do julgamento". 

- Zôhar



"Uma pessoa cuja alma é amada nos céus sempre recebe ajuda do Jardim do Éden. Almas sagradas lhe são envidas pelo Santo, bendito seja Ele, para lhe revelar a Sabedoria e o que irá acontecer no mundo futuro".


Autor
Dipankara Vedas
"Misha'Ël Ha'Levi"


terça-feira, 20 de junho de 2017

A Verdadeira Identidade Do Rabino Isaac Lúria


Raziël 
רַזִיאֶל
אָרִיזַל


Quem tem "ouvidos" para "ouvir" que "ouça" e adquira o temor dos céus para que o orgulho não lhe suba ao coração e o faça cometer peshá (pecado de rebelião) contra o Criador dos céus e da terra, o todo poderoso, abençoado seja Ele. Eis aqui um maravilhoso segredo que não foi revelado nos tempos antigos e que somente agora o selo que o protegia foi retirado.

Quando uma pessoa alcança, neste mundo, o mesmo nvel da consciência espiritual que Adão possuía no Gan Éden (Jardim Do Éden), o próprio Raziël ha'Malach (Anjo Raziël) vem para instruí-lo com a Chochmat Nistar ha'Torá (Sabedoria Escondida da Instrução Divina), isto porque, Raziël foi o professor de Adão no Jardim Superior. 

Este evento aconteceu no século dezesseis com o nascimento do Rabino Yitzchaq Lúria e este segredo está codificado no Sha'ar ha'Guilgulim (o Portal das Reencarnações). 

Em diversos momentos o rabino Chaim Vital mencionou a recusa de seu mestre, o Leão Sagrado, em lhe revelar a verdadeira natureza da sua alma e quando o rabino Vital insistia, ouvia dos lábios do seu mestre: 

"Não me é permitido revelar-te a verdadeira natureza da minha alma, unicamente que eu vim ao mundo para te instruir". 

Quem era o Rabino Yitzchaq Lúria? E por que sempre se recusava a revelar a verdadeira natureza da sua alma?

"Ele me disse que veio para Safed só por minha causa. Além disso, ele me disse que a principal missão da reencarnação atual era passar por aqui por minha causa, para me completar, e que ele não tinha vindo por causa própria, porque ele não precisava ter encarnado".

Sha'ar Ha'Guilgulim - Ha'Qadmá 38

Depois de seu ocultamento no dia 16 de julho de 1572, o sagrado Leão passou a ser chamado de "Arizal (אָרִיזַל)" cujas a letras hebraicas revelam a verdadeira natureza da sua alma. 

Quando aplicamos temurá (permutação cabalística) sobre as letras de Arizal elas se transformam em Raziël (רַזִיאֶל) o Nome do professor de Adão no Jardim do Éden. 

A magnificência da Sabedoria alcança todos os céus. Se o Rabino Yitzchaq Lúria era uma manifestação do mestre dos mistérios divinos, quem foi então, o rabino Chaim Vital? 

Por muitos episódios no Portal das Reencarnações, quando questionado pelo próprio Vital para que lhe revelasse quem ele era e qual a verdadeira natureza da sua néfesh (alma), o Arizal dizia: "Saiba, eu ainda não tenho permissão para lhe revelar qual a sua missão ao vir ao mundo e quem você é. E se eu lhe dissesse detalhadamente o assunto em questão, você flutuaria no ar de tanta alegria (Sha'ar ha'Guilgulim ha'Qadmá 38". 

Vital era uma manifestação do primeiro ser, Adão e por isso o Arizal, que era uma manifestação do Anjo Raziël, veio ao mundo para instruí-lo. 

Muitos mestres contemporâneos do Rabino Chaim Vital imploraram com lágrimas para que o Arizal lhes ensinasseo Dere'k Nistar (Caminho Escondido) ao que o Rabino Yitzchaq Lúria lhes assegurou ter vindo ao mundo apenas é unicamente para instruir Chaim Vital e que ninguém poderia aprender esta Sabedoria se não fosse por meio do Rabino Vital (Sha'ar ha'Guilgulim ha'Qadmá 38). 

Eu havia dito e escrito que, quando eu voltasse de Eretz Israel, após ter completado a unificação da minha alma com a alma do meu mestre, o Arizal, muitos mistérios da Sabedoria Escondida seriam abertos. 

Em alguns textos nos encontramos o Arizal revelando em resposta as provocações de dois judeus perversos que sempre estavam rindo dele: "Vocês não sabem que a minha alma tem raiz na alma de Moisés? E que eu poderia fazer a terra abrir como Moisés o fez, e fazer com que eles fossem engolidos, uma vez que eles são reencarnações de Datan e Aviram que foram tragados vivos no episódio de Korach?". Esta declaração parece conter uma contradição, mas ela desaparece quando estudamos o Zohar Beshalach sobre a criação da alma de Moisés: 

"Aprendemos que, naquele momento, que chegou a hora de Moisés, o profeta fiel, descer ao mundo. O Santo, abençoado seja ele, retirou um Espírito Santo de um bloco cortado da pedra preciosa, a safira, que estava escondida dentro de 248 luzes, e brilhava sobre ele. E ele o coroou com 365 coroas e ficaram diante dele, e ele o nomeou sobre tudo o que era dele. Ele lhe deu 173 chaves, e o coroou com cinco coroas. Toda coroa subiu e iluminou em mil mundos que iluminam e nas luzes escondidas nos tesouros do Rei Santo Revelável"

Zôhar Beshalach

A alma possui 248 órgãos e 365 nervos e tendões que são forma aos órgãos, nervos e tendões do corpo, mas o segredo não é apenas este. A Torá possui 248 preceitos positivos e 365 negativos. 

A gematria do Nome Raziël (רַזִיאֶל) é 248 que é a mesma gematria de Arizal (אָרִיזַל). As 173 chaves são as letras na Prece Ana Bekoach e as cinco coroas são o segredo das cinco letras no Nome Raziël (רַזִיאֶל). 

Os sábios declararam que Moisés era metade homem e metade anjo o que comprova esta revelação. Lemos em Sêfer Devarim (Deuteronômio) capítulo 33, a seguinte declaração sobre a natureza angélica de Moisés:

"Esta é a bênção com que Moisés, homem de Deus, abençoou os filhos de Israel antes do seu ocultamento (וְזֹאת הַבְּרָכָה, אֲשֶׁר בֵּרַךְ מֹשֶׁה אִישׁ הָאֱלֹהִים--אֶת-בְּנֵי יִשְׂרָאֵל)".

Deuteronômio 33:1

Neste passuq, Moisés é chamado de "Ish ha'Elohim" e sabemos que os "Ishim e os Elohim" são hierarquias angelicais. Em Dere'k Nistar (QABALAH), os ishim (Heb. אִישִׁים - "homens", "personagens", "personalidades", "indivíduos") ou Eshim (אֵשִׁים - "incêndios", "chamas", "faíscas") são uma classe de anjos sobre os quais disseram que são os mais próximos dos assuntos da humanidade. Eles são compostos de fogo e neve, e são descritos como "as almas belas" que residem em Makon, o 5º Céu e Moisés foi chamado "Ish ha'Elohim (אִישׁ הָאֱלֹהִים)".


No próprio Sêfer Devarim nós encontramos "Raziel" e abaixo dele "Yavô (virá) e ao lado "Moshê ish ha'Elohim...".

A metade anjo da alma de Moisés era o Anjo Raziël e por isso ele era chamado "Ish ha'Elohim" que pode ser compreendido como "Faísca de D'us".

Manuscritos De Qumram

Dois fragmentos de manuscritos descobertos em Qumram,  especialmente o 4Q374 e 4Q377, levantam especulações de que a Moisés foi concedido um status "divino e angélico".

"E, subindo Moisés ao monte, a nuvem cobriu o monte. E a glória de Hashem repousou sobre o monte Sinai, e a nuvem o cobriu por seis dias; e ao sétimo dia chamou a Moisés do meio da nuvem. E a aparência da glória de Hashem era como um fogo consumidor no cume do monte, aos olhos dos filhos de Israel. E Moisés entrou no meio da nuvem, depois que subiu ao monte; e Moisés esteve no monte quarenta dias e quarenta noites (וַיַּעַל מֹשֶׁה, אֶל-הָהָר; וַיְכַס הֶעָנָן, אֶת-הָהָר. טז וַיִּשְׁכֹּן כְּבוֹד-יְהוָה עַל-הַר סִינַי, וַיְכַסֵּהוּ הֶעָנָן שֵׁשֶׁת יָמִים; וַיִּקְרָא אֶל-מֹשֶׁה בַּיּוֹם הַשְּׁבִיעִי, מִתּוֹךְ הֶעָנָן. יז וּמַרְאֵה כְּבוֹד יְהוָה, כְּאֵשׁ אֹכֶלֶת בְּרֹאשׁ הָהָר, לְעֵינֵי, בְּנֵי יִשְׂרָאֵל. יח וַיָּבֹא מֹשֶׁה בְּתוֹךְ הֶעָנָן, וַיַּעַל אֶל-הָהָר; וַיְהִי מֹשֶׁה, בָּהָר, אַרְבָּעִים יוֹם, וְאַרְבָּעִים לָיְלָה.)". 

Êxodo 24:15-18

Os sábios disseram que, somente por causa de sua natureza "humano-angélica" Moisés pode suportar 40 dias e 40 noites sem comer e sem dormir.

O Livro De Raziel

"Este é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez (זֶה סֵפֶר, תּוֹלְדֹת אָדָם: בְּיוֹם, בְּרֹא אֱלֹהִים אָדָם, בִּדְמוּת אֱלֹהִים, עָשָׂה אֹתוֹ)". 

Gênesis 5:1

"Rabi Aba disse: Um livro foi realmente enviado a Adão através do qual ele discerniu e compreendeu a sabedoria suprema. Por isso, o verso se refere a ele como "o livro das gerações de Adão". Este livro mais tarde foi para as mãos dos "filhos de Elohim" Os sábios de sua geração, que tiveram o privilégio de aprender com ele e coletar a sabedoria suprema. Eles o compreenderam e compreenderam. Este livro foi trazido pelo guardião dos segredos que é o anjo Raziel e foi dado a Adão no Jardim do Éden. Três anjos da guarda estavam diante dele e guardavam o livro, para que as forças externas não tivessem acesso a ele".

Zôhar Bereshit A - 472

O nome Raziel está codificado neste verso (Gênesis 5) a partir da palavra "Zêh Sêfer (זֶה סֵפֶר)" a cada quatro letras no sentindo inverso na direção do verso 26 do capítulo 4:

 כו וּלְשֵׁת גַּם-הוּא יֻלַּד-בֵּן, וַיִּקְרָא אֶת-שְׁמוֹ אֱנוֹשׁ; אָז הוּחַל, לִקְרֹא בְּשֵׁם יְהוָה א זֶה סֵפֶר, תּוֹלְדֹת אָדָם: בְּיוֹם, בְּרֹא אֱלֹהִים אָדָם, בִּדְמוּת אֱלֹהִים, עָשָׂה אֹתוֹ

Raziël 
רַזִיאֶל

Dentro deste trecho da Torá nos encontramos "Lúria" e acima dele os dois versos onde Raziel está codificado:


Acima, no centro (em vermelho) está "Lúria (לוּרְיָא)" e acima dele à esquerda esta "Zêh sêfer (amarelo)" e Raziel em verde.

Esta é a razão secreta do porque o Rabino Isaac Lúria era chamado de "ha'Ari (הָאֲרִי)" cujas letras são as inciais de "Elohai Rabbi Yitzchaq (הַאֱלֹהָי רַבִּי יִצְחָק) - O Divino Rabbi Isaac".

"Os montes foram cobertos da sua sombra, e os seus ramos se fizeram como os formosos cedros". - Salmos 80:10

כָּסּוּ הָרִים צִלָּהּ; וַעֲנָפֶיהָ, אַרְזֵי-אֵל
רְזֵיאֵל

Autor
Dipankara Vedas
Misha'Ël Ha'Levi

Leia também...

O Artesão Da Luz

O Artesão Da Luz
Deepak Veda - Instrutor e compartilhador sobre a Sabedoria Espiritual. Sênior criptólogo especialista em Criptologia Divina. É escritor e autor de 14 obras, incluindo "Shem ha'Meforash - Os 72 Nomes De D'us" e "Guilgulim - O Portal Das Reencarnações".

Advertência

"Todas as palavras postadas aqui tem por finalidade a revelação dos mistérios das escrituras. Por mais duras que algumas vezes possam parecer, elas não tem finalidade de agredir, difamar, caluniar quaisquer pessoas, instituições, religiões ou quaisquer práticas religiosas e seus líderes. É certo que determinadas práticas e seus respectivos lideres precisam sim serem trazidos à luz, mas através da revelação da verdade"

Tradição

"Então, aqueles que são sábios brilharão como o esplendor (Zohar) do firmamento, e aqueles que retornaram à justiça para muitos, serão como as estrelas para sempre (Dani´El Péreq 12, 3º Passuq)".

Aviso

"A Hayk´la Arazuta não possui vínculos ou ligações com quaisquer endidades "judaicas" e nem mesmo com qualquer federação. A Hayk´la Arazuta não é siosnista e não crê no sionismo. Os rabinos da Hayk´la Arazuta não possuem ligação e nem seguem ou servem ao "judaísmo rabínico". A Hayk´la Arazuta avisa que qualquer um que proferir calúnias, difamações, ataques contra a honra da Comunidade, seus lideres e membros, ameaças de quaisquer tipo, os autores serão levados ao Judiciário através de processos cíveis e criminais. Copiar, distorcer e usar pejorativamente assuntos e experiências aqui publicadas, os autores serão processados. A Hayk´la Arazuta d´Madvra é um Orgão da Associação Cabalista Mundial - Gará Kulam Moshav, organização esta devidamente registrada junto ao Governo Federal Brazileiro de acordo com a Lei e possui CNPJ.".